Entretenimento

Um pintor, uma videoartista e dois escultores concorrem ao prêmio Turner

AP Photo/ Wilkinson Gallery/PA, Ho
O pintor George Shaw, indicado ao prêmio Turner de arte contemporânea Imagem: AP Photo/ Wilkinson Gallery/PA, Ho

04/05/2011 18h08

Londres, 4 mai (EFE) - O pintor George Shaw, a videoartista Hilary Lloyd e os escultores Martin Boyce e Karla Black estão entre os indicados ao prêmio Turner 2011 de arte contemporânea, um dos eventos mais polêmicos do panorama europeu.

A premiação, que anunciará o vencedor no dia 5 de dezembro e entregará 25 mil libras (equivalente a US$ 41.127) para o vencedor e 5 mil libras (US$ 8.166) para cada um dos outros três selecionados, esteve associado desde sua criação em 1984 a trabalhos artísticos impactantes e controvertidos.

Pela segunda vez, os quatro artistas candidatos ao Turner exporão seus trabalhos fora de Londres, no centro Baltic de arte contemporânea na localidade de Gateshead, ao nordeste da Inglaterra, a partir do dia 21 de outubro.

O prêmio, que reconhece o melhor artista britânico ou residente no país de menos de 50 anos em função de sua obra do último ano, tem o objetivo de ressaltar a "variedade e a vitalidade" da arte contemporânea britânica, apontou a diretora da galeria Tate Britain, Penelope Curtis, após divulgar em Londres os quatro indicados em 2011.

George Shaw foi selecionado por suas pinturas de paisagens urbanas isoladas e sem figuras humanas inspiradas no subúrbio de Coventry (Reino Unido) onde o artista cresceu, que foram expostas no centro Baltic de Gateshead sob o título "The Sly and Unseen Day".

Karla Black, uma artista "menos tradicional" comparada a Shaw, segundo o júri do Turner, foi reconhecida pela sua "cromática e táctil" instalação "Not a Person in The World" na Galerie Capitain Petzel, em Berlim.

As esculturas abstratas de Karla, definidas como quadros "em três dimensões" pelos juízes do prêmio, destacam a mistura de materiais tradicionais com outros menos convencionais como a vaselina, o giz, o batom e a sombra de olhos.

A pesquisa dos vínculos entre imagem, som e formas que Hilary Lloyd propôs na galeria Raven Row de Londres, onde exibiu há dois meses cinco trabalhos - "Man", "Trousers", "Crane", "Tunnel" e "Motorway"-, também valeram uma indicação do júri, que indentificou que a videoartista reflete sobre os espaços urbanos e os lugares cotidianos em instalações projetadas para interagir com o público.

O júri reconheceu também o trabalho do escultor Martin Boyce, exposto na galeria Eva Presenhuber de Zurique - "A Library of Leaves" -, uma variação elaborada a partir uma mesa de trabalho desenhada pelo francês Jean Prouvé para a Casa do Estudante de Paris.

Na edição anterior (2010), o Turner premiou pela primeira vez uma obra sonora composta pelas instalações acústicas "Lowlands" e "Long Gone" que a escocesa Susan Philipsz criou com sua própria voz.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo