Topo

Entretenimento

Países da UE divergem sobre endurecimento de sanções contra crimes virtuais

25/02/2011 10h41

Bruxelas, 25 fev (EFE).- Os países da União Europeia (UE) mostraram nesta sexta-feira suas posições divergentes sobre o endurecimento das sanções contra crimes virtuais.

Estas diferenças ficaram evidentes durante um debate dos ministros de Justiça europeus sobre uma proposta para reforçar a segurança na UE contra todo tipo de crime na rede.

A iniciativa, defendida pela comissária de Assuntos Internos da UE, Cecilia Malmstrom, propõe, entre outras medidas, um endurecimento das sanções para este tipo de crime.

Alguns Estados-membros, como Alemanha, Grécia e Finlândia, ressaltaram que a experiência demonstrou que impor sanções mais duras não é a melhor maneira de combater o problema e defenderam a adoção de outras medidas, como o uso de mecanismos técnicos para melhorar a investigação desses crimes.

Já França, Reino Unido e Holanda mostraram-se a favor da proposta de Bruxelas e de que a medida seja adotada o mais rápido possível para combater um problema que vem crescendo.

Por sua vez, Bulgária e Lituânia pediram que sejam punidos com mais dureza os crimes contra instituições como administrações públicas, bancos e usinas nucleares.

Embora a UE tenha advertido que seus membros "já têm suas medidas" de segurança contra crimes virtuais, acha conveniente a blindagem das redes europeias e medidas específicas para proteger as infraestruturas "críticas", segundo a comissária de Assuntos Internos.

De acordo com a UE, os hackers "inventam" a cada dia tantos delitos quanto novos aplicativos aparecem no mercado.

Entre os crimes mais populares está a obtenção de números de cartões de crédito, a sabotagem de redes, a extorsão e a espionagem.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento