Entretenimento

Grammy 2011: country de Lady Antebellum é o grande vencedor da noite

14/02/2011 05h03

Antonio Martín Guirado.

Los Angeles (EUA), 13 fev (EFE).- A 53ª edição dos Grammy catapultou ao estrelato o country do grupo Lady Antebellum, com cinco prêmios, e surpreendeu ao outorgar o principal prêmio da noite, o de Melhor Álbum do Ano, ao rock dos canadenses Arcade Fire em uma festa que combinou os gostos de jovens e veteranos.

O Arcade Fire, que recebeu o grande prêmio de mãos de Barbra Streisand, subiu ao palco para se despedir com uma versão de "Ready to Go", um dos temas mais conhecidos do disco "The Suburbs", após ter agradado o público do Staples Center minutos antes com "Month of Mai".

"Uau!", disse Win Butler, líder da banda, entre várias palavras que soam mal, produto da surpresa. "Estamos muito contentes, muito obrigado", acrescentou.

Os componentes do Lady Antebellum foram os ganhadores morais da cerimônia com os troféus nas categorias de Gravação do Ano (produção do disco) e Melhor Álbum de Country, por "Need You Now", assim como Melhor Canção do Ano (compositor), Melhor Canção de Country e Melhor Atuação Vogal de Country de um Duo ou Grupo, pela balada que dá título a esse trabalho.

"É a canção que pôs nosso mundo de pernas pro ar", disse Hillary Scott, a vocalista da banda, ganhadora em cinco das seis categorias onde era indicada. "Mudou nossa vida", acrescentou.

Três prêmios conseguiram Lady Gaga (Melhor Vídeo Musical Curto, Melhor Atuação Vogal Pop Feminina, ambos por "Bad Romance", e Melhor Álbum Vocal de Pop, por "The Fame Monster") e o rapper Jay-Z, para Melhor Colaboração Rap e a Melhor Canção Rap, por "Empire State of Mind", e Melhor Atuação de Rap por um Duo ou Grupo, graças a "The Blueprint 3", junto com Swizz Beatz.

A festa, de três horas e meia, começou com uma homenagem à altura para Aretha Franklin, "a rainha do soul", que se recupera em sua casa de Detroit de um câncer de pâncreas, com as vozes de Christina Aguilera, Martina McBride, Florence Welch, Jennifer Hudson e Yolanda Adams.

"Vocês não podem imaginar o quanto estou emocionada", disse Aretha em mensagem gravada. "Obrigado por seus desejos e orações. Eu adoraria estar com vocês, ano que vem, pode ser?", acrescentou perante os aplausos dos espectadores.

A cerimônia contou com atuações espetaculares entre as quais sobressaíram as de Lady Gaga ("Born This Way"), Muse ("Uprising"), Bob Dylan - com sua eterna gaita - junto com Mumford and Sons ("Maggie's Farm") e o show de música negra com o R&B e o soul de Bruno Mars, B.o.B e Janelle Monae, ao interpretar "Nothin' On You", "Grenade" e "Cold War".

Gaga voltou a chamar a atenção. Primeiro com sua entrada no tapete vermelho dentro de em um ovo gigante - ou um casulo, quem sabe? -, depois com a potente apresentação de seu novo single "Born This Way", e finalmente com sua "fantasia", um delirante vestido de couro.

Outros momentos de destaque chegaram com Miranda Lambert ("The House That Built me"), o trio formado por Justin Bieber, Usher e Jaden Smith ("U Got It Bad", "Baby" e "OMG"), Lady Antebellum ("If You Don't Know Me By Now", "American Honey" e "Need You Now").

E também a estranha dupla formada por Cee Lo Green - vestido como um peru real - e a atriz Gwyneth Paltrow em "Fuck You", e uma sugestiva Katy Perry ("Not Like the Movies" e "Teenage Dream").

Mas, sem dúvida, a maior ovação da noite ficou para Mick Jagger, em sua primeira atuação ao vivo nos Grammy, com uma versão de "Everybody Needs Somebody To Love", em homenagem ao falecido Salomon Burke.

A temperatura aumentou com o surgimento de Rihanna e Eminem, que interpretaram "Love The Way You Lie". Eminem, favorito com dez indicações, ficou com duas estatuetas, entre elas a de Melhor Álbum de Rap, por "Recovery".

E a cantora de Barbados cantou sob o foco dos holofotes junto com Drake "What's My Name", onde exibiu um espetacular vestido vermelho que ressaltava seu corpo.

Outra das grandes surpresas da noite foi protagonizada por Esperanza Spalding, que conseguiu o prêmio de Melhor Artista Novato ao vencer o canadense Justin Bieber.

Na reta final Kris Kristofferson apresentou Barbra Streisand, que na sexta-feira passada recebeu o prêmio Pessoa do Ano, da Academia da Música.

"É uma das estrelas mais brilhantes neste universo", disse Kristofferson, antes que a mítica cantora e atriz interpretasse uma versão de "Evergreen".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo