Topo

Entretenimento

Síria libera acesso a Facebook e YouTube pela 1ª vez em 3 anos

10/02/2011 12h29

Damasco, 10 fev (EFE).- Os internautas sírios tiveram nesta quinta-feira acesso liberado a sites como Facebook e YouTube, censurados há três anos, depois do fracasso dos protestos convocados na internet para um "Dia da Ira" sírio.

Os usuários de internet receberam a notícia da mudança com alegria, que desde quarta-feira liberou o acesso direto a cerca de 240 páginas web que estavam bloqueadas e que só podiam ser acessadas através de servidores no exterior.

O empresário sírio no setor das novas tecnologias Abdulsalam Haykal avaliou positivamente a mudança e afirmou que a decisão do Governo sírio é um gesto de confiança a juventude do país.

"O poder das redes sociais é uma ferramenta importante para aumentar a participação, sobretudo para os jovens", assegurou à Agência Efe.

Por outro lado, as autoridades sírias ainda não fizeram nenhum anúncio oficial sobre a mudança.

Enquanto atualizava sua conta no Facebook, um jovem sírio que pediu anonimato acrescentou que o Executivo do presidente Bashar al-Assad "entendeu que os sírios respaldam o líder, que foi o único a dizer 'não' aos Estados Unidos".

"Estão nos apoiando, sabemos que confiam na nova geração", manifestou em referência ao Governo sírio.

O internauta acredita que existe uma relação entre o levantamento do bloqueio e o fracasso da convocação pela internet de um "Dia da Ira" em protesto contra o Governo.

A convocação surgiu no calor dos protestos políticos realizados no Egito, Jordânia, Iêmen e Tunísia, e que neste último país forçaram a saída do então presidente Ben Ali.

As datas marcadas para o "Dia da Ira" sírio eram na sexta-feira e no sábado passado mas, ao contrário do que passou em outros países árabes, não se registraram grandes mobilizações nem em Damasco nem em outras cidades do país.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento