Topo

Entretenimento

Hungria celebra 200º aniversário do compositor Franz Liszt

Reprodução
Franz Liszt, tido como um dos compositores europeus mais importantes do século 19 Imagem: Reprodução

07/01/2011 06h02

Budapeste, 7 jan - A Hungria irá celebrar ao longo deste ano o 200º aniversário do nascimento de Franz Liszt ("Liszt Ferenc", em húngaro), um dos compositores europeus mais importantes do século 19, que, apesar de suas raízes germânicas, sempre se sentiu húngaro.

O lema do ano comemorativo é justamente "Je Suis Hongrois" ("Eu Sou Húngaro", em francês), palavras que o músico pronunciou quando lhe perguntaram em Paris sobre suas origens.

"Sentia-se muito bem em todo o continente, era um verdadeiro cidadão europeu", assegurou em declarações à Agência Efe Orsolya Erdödy, diretora do escritório Klassz, que coordena as atividades do chamado Ano Liszt.

Liszt (1811-1886) foi considerado um dos pioneiros da 'música programática', que busca evocar ideias e imagens extra-musicais, representando musicalmente estados de ânimo.

O compositor, pianista, diretor de orquestra e pedagogo musical nasceu em Raiding, uma pequena localidade que então fazia parte da Hungria, mas que hoje faz parte do território austríaco.

Seu pai, Adam Liszt, era um importante funcionário do Império Austro-Húngaro, e sua mãe, Ana, era uma austríaca da localidade de Krems an der Donau, perto de Viena.

Sua obra chegará este ano, em interpretação de vários artistas húngaros e internacionais, às principais capitais europeias.

Com estes concertos, a Hungria também quer celebrar sua Presidência rotativa da União Europeia (UE), que iniciou no primeiro dia do ano.

Ao longo de sua vida criativa, Liszt viveu e trabalhou em inúmeras cidades europeias, como Viena, Paris e Londres, entre outras, embora tenha vivido seus últimos anos entre Weimar, Roma e Budapeste.

O Ano Liszt será inaugurado oficialmente em 22 de janeiro, no Dia da Cultura Húngara, com um concerto da Filarmônica Nacional da Hungria, em colaboração com o renomado pianista húngaro Zoltán Kocsis.

"Nosso objetivo é promover cooperações internacionais. Estamos em contato com 16 festivais e salas de concerto do exterior, principalmente europeias", explicou Erdödy.

Na Hungria, serão celebrados diversos festivais, como o de Miskolc, onde será interpretada a ópera "Don Sanche", a única de Liszt.

Também em Miskolc, leste do país, o pianista russo Denis Matsuev oferecerá os concertos de piano de Liszt, no dia do aniversário do mestre, 22 de outubro.

Um mês antes, vários pianistas de primeiro nível se reunirão em Budapeste, como o alemão Rolf-Dieter Arens, o britânico William Fong, o americano Charles Rosen e o coreano Ick-Choo Moon, para interpretar obras de Liszt.

"Queremos apresentar uma imagem completa do compositor das 'Rapsódias Húngaras', por isso que também nos concentraremos em outros aspectos de sua obra, como os relacionados à pedagogia musical e à música religiosa, que ele quis reformar", ressaltou Erdödy.

Neste âmbito, é preciso destacar um concerto previsto para a Cidade do Vaticano, no dia 27 de maio, com a presença do papa Bento 16 e a participação da Filarmônica Nacional da Hungria.

Também haverá exposições como a intitulada "Liszt e Budapeste" e uma conferência internacional com a participação de musicólogos sobre a obra do compositor.

Uma das iniciativas de maior destaque do Ano Liszt é o Dia Mundial Liszt, em 22 de outubro, quando salas de concerto de todo o mundo o homenagearão, apresentando a obra "Christus-Oratorio".

Além disso, o Governo húngaro decidiu a partir deste ano renomear o aeroporto internacional de Budapeste para "Liszt Ferenc" (Marcelo Nagy).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento