Entretenimento

Centenas de milhares participam em Roma da maior parada gay da Europa

Stefano Rellandini/Reuters
Manifestante da parada gay italiana escreve o nome de Lady Gaga nos seios enquanto espera a chegada da cantora (11/6/2011) Imagem: Stefano Rellandini/Reuters

11/06/2011 17h14

Centenas de milhares de pessoas participam neste sábado (11/06) da edição 2011 da Europride, em Roma. Os organizadores esperam reunir cerca de 1 milhão de pessoas até o final da maior parada em favor dos direitos dos homossexuais da Europa. O evento europeu dedicado ao público GLS ocorre anualmente em cidades de grande comunidade homossexual.

A cantora Lady Gaga, ídolo da música pop norte-americana, é a convidada especial deste ano. A excêntrica cantora é considerada ativista dos direitos homossexuais. Lady Gaga chegou a Roma de jatinho neste sábado para participar da parada e cantar no Circus Maximus, local de entretenimento da antiga Roma.

A Europride deste ano tenta aumentar a pressão sobre o governo italiano para que reconheçam os direitos de gays e lésbicas. "Este é um governo em que o primeiro-ministro tem relações com meninas menores de idade, mas que ao mesmo tempo diz que nunca aprovará uma lei que contradiga a visão de família propagada pelo Vaticano", disse Paolo Patana, coorganizador do evento.

Menos críticas

Esta é a segunda vez que a Europride acontece na capital italiana. Em 2000, quando 200 mil gays, lésbicas e travestis se reuniram em Roma, o Vaticano e os políticos italianos se demonstraram indignados. "Não agora e não em Roma", diziam os bispos. As críticas sérias ao evento parecem ter diminuído com o passar do tempo. Desta vez, o Vaticano não se pronunciou e nada se escutou dos parlamentares italianos.

O desfile percorre as ruas do centro histórico de Roma. Os organizadores aproveitaram para chamar a atenção para os problemas dos homossexuais na Itália. "A Itália é o único país da Europa onde a ignorância continua em vantagem", disse o travesti e político italiano Vladimir Luxuria. "Nós estamos envoltos de países que reconhecem uniões extraconjugais, somente entre nós continuam a reinar os medos irracionais e a desinformação", afirmou.

Um jovem visitante da Europride se dirigiu ao Papa com o pedido de "não mais declarar que os homossexuais precisavam ser 'curados', mas sim que declare que eles têm um direito a uma vida na qual haveria espaço para uma relação amorosa sob o signo da fidelidade".

Tabu na Itália

Perante a lei, uniões fora do casamento são ainda hoje tabu na Itália. A última tentativa de legalização ocorreu em 2007, durante o governo de centro-esquerda de Romano Prodi. Além de duras críticas do Vaticano, políticos conservadores organizaram manifestações em prol da família tradicional. A resistência de todos os lados e a fraqueza da coalizão comandada por Prodi definiram o fracasso do projeto.

Também a relação entre a comunidade gay e a Santa Sé não é das melhores. Embora a homossexualidade não seja mais considerada pecado pela Igreja Católica, no ano passado o papa Bento 16 levantou a ira das organizações de gays e lésbicas.

Em seu livro de entrevistas Luz do mundo, Bento 16 declarou que a homossexualidade continua algo "contra a essência daquilo que Deus originalmente desejava". Gays católicos também combatem a recusa da Igreja em aceitar que homossexuais assumam o sacerdócio.

Neste sábado, também foram realizadas paradas gays em Varsóvia e na cidade costeira croata de Split. Na capital polonesa, manifestantes nacionalistas protestaram contra a "Marcha da Igualdade", na qual milhares de participantes defenderam mais direitos para homossexuais e lésbicas.

Em Split, pedras e garrafas foram atirados por opositores sobre os cerca de 200 participantes da parada. Diversas pessoas saíram feridas do evento, que aconteceu na Croácia sob forte proteção policial.

CA/dpa/afp
Revisão: Alexandre Schossler

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo