Topo

Filmes e séries


Toy Story 4 deve animar bilheterias dos EUA no fim de semana

Buzz Lightyear em cena de Toy Story 4 - Divulgação
Buzz Lightyear em cena de Toy Story 4 Imagem: Divulgação

Anousha Sakoui

21/06/2019 14h05

Woody e Buzz Lightyear estão de volta com uma nova missão: dar impulso às bilheterias na temporada de verão no hemisfério norte, que ainda não decolaram.

A expectativa é que a mais nova sequência de Toy Story, da Walt Disney, consiga arrecadar US$ 150 milhões nos cinemas dos Estados Unidos e Canadá neste fim de semana, o que seria a segunda melhor estreia de um filme de animação.

Seria um impulso bem útil para o setor, cujas sequências nas últimas semanas mostraram resultado abaixo do esperado. Nesse grupo estão "X-Men: Fênix Negra", o decepcionante "Godzilla II: Rei dos Monstros" e "A Vida Secreta dos Bichos 2".

O público não está cansado das sequências, apenas das que são ruins, disse Shawn Robbins, analista chefe da Box Office Pro. "Toy Story 4", por outro lado, tem sido quase universalmente elogiado por críticos e, depois de quase um quarto de século, a franquia tem várias gerações de fãs.

Para a Disney Pixar, Toy Story é sua franquia teatral mais lucrativa. O estúdio teve menos sorte com outras lançamentos nos últimos anos: "Carros 3" não agradou em 2017, e "O Bom Dinossauro" teve fraca bilheteria em 2015.

A Disney não escapou ilesa do cansaço das sequências neste verão. Ganhou os direitos de "Fênix Negra" em seu meganegócio de US$ 71 bilhões com a 21st Century Fox no início deste ano, mas não conseguiu emplacar o filme. Mas, no geral, deve continuar dominando as bilheterias.

Enquanto os fãs curtem "Toy Story 4", provavelmente já devem estar se preparando para o remake de "O Rei Leão", também da Disney, no mês que vem. A empresa deve relançar "Vingadores: Ultimato" com cenas extras, dando ao blockbuster a chance de destronar "Avatar" como o filme de maior bilheteria de todos os tempos.

A supremacia da Disney colocou outros estúdios em um dilema. O público já não vai ao cinema todo fim de semana, e os filmes que não são da Disney estão sendo ignorados, disse Robbins.

"O público está esperando o próximo grande lançamento da Disney", disse.