PUBLICIDADE
Topo

Estrelas do entretenimento estão na mira de autoridades na China

Fan Bingbing posa para fotógrafos durante o Festival de Cannes de 2017 - Thibault Camus/AP Photo
Fan Bingbing posa para fotógrafos durante o Festival de Cannes de 2017 Imagem: Thibault Camus/AP Photo

12/09/2018 13h44

Até alguns meses atrás, o futuro parecia brilhante para Fan Bingbing. Uma das maiores estrelas de cinema da China, ela havia participado de alguns filmes de Hollywood de super-heróis que fizeram sucesso nas bilheterias e também de dezenas de produções locais, além de ter vários outros projetos em preparação.

Então, em junho, ela se envolveu em um escândalo em torno de estrelas de cinema que não informam a totalidade de sua renda, o que levou as autoridades fiscais chinesas a investigar o setor - incluindo Fan - por possível evasão. A atriz de 36 anos, que tem 63 milhões de seguidores no Weibo, uma rede social semelhante ao Twitter, desde então desapareceu do olhar do público - nada de novidades nas redes sociais, nem fotos de paparazzi, nem aparições públicas. Fan negou irregularidades e um representante de seu estúdio não foi encontrado para comentar o assunto.

Para os executivos do cinema, o desaparecimento de Fan é um lembrete dos perigos da indústria do entretenimento no mercado mais regulamentado do mundo, onde o Partido Comunista interfere em tudo, da adequação dos figurinos ao salário das estrelas de cinema. O episódio também está levando os estúdios chineses a se tornarem menos dependente das estrelas mais famosas como protagonistas de grandes sucessos, uma transição que Hollywood fez anos atrás.

"A repressão vai obrigar os estúdios a se concentrarem em produzir conteúdo de qualidade, em vez de simplesmente dependerem da fórmula de contar com uma estrela como protagonista", disse Leiger Yang, sócio fundador da Landmark Capital, com sede em Pequim, que investe em estúdios e startups de entretenimento.

A decisão de afastar-se dos altos salários das estrelas coincide com um momento em que o boom do cinema na China está recuperando o ímpeto, estimulado por sucessos locais que têm constantemente desbancado os filmes de Hollywood. No entanto, por trás dessa aparência saudável, os principais estúdios chineses, incluindo Huayi Brothers Media e Zhejiang Huace Film & TV, afirmaram em relatórios anuais que o aumento do pagamento de celebridades está afetando as margens de lucro.

Fan desapareceu do olhar do público um dia antes que a Administração Tributária do Estado anunciasse, em 3 de junho, uma investigação sobre os registros fiscais da estrela depois que um ex-apresentador da Televisão Central da China publicou o que pareciam ser contratos parcialmente redigidos que supostamente disfarçavam a remuneração que Fan recebeu de um estúdio por um filme. Semanas depois, o apresentador disse que os contratos não estavam relacionados à estrela.

Foco na qualidade

Com o tempo, essa transição levará a uma redução das produções de baixa qualidade e dará ao setor uma oportunidade de se concentrar na qualidade, disse Yin Hong, professor de TV e estudos de cinema da Universidade de Tsinghua.

Apenas cerca de metade dos aproximadamente 800 filmes feitos pelos estúdios chineses no ano passado chegaram ao cinema e, entre esses 400, menos de 100 venderam pelo menos 100 milhões de yuans (US$ 14,5 milhões) em ingressos. Isto em um mercado onde considera-se que o mínimo para um sucesso é cerca de 1 bilhão de yuans em vendas.

"A indústria está sofrendo muito agora", disse Yin. "Mas, se for tratada adequadamente, esta será uma boa oportunidade."