Topo

Game of Thrones


Game of Thrones: como as mulheres se tornaram o centro deste grande sucesso da TV

DAVIES SURYA/BBC
De Daenerys Targaryen a Lyanna Mormont, as mulheres foram o centro das atenções da última temporada da série Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Heather Chen e Grace Tsoi

Da BBC News

2019-05-20T14:59:17

20/05/2019 14h59

ATENÇÃO: Este texto contém spoilers de "Game of Thrones". Não leia se não quiser saber.

Digam o que quiserem sobre o enredo, mas não dá para negar que a oitava e última temporada de Game of Thrones pertenceu às mulheres de Westeros.

Claro, houve críticas quanto à mudança de rumo de algumas personagens, mas ficou claro que os momentos finais desse grande sucesso da TV giraram em torno do elenco feminino.

De Daenerys Targaryen a Lyanna Mormont, as mulheres foram o centro das atenções enquanto os homens tiveram papel coadjuvante - pelo menos, até o penúltimo episódio.

Sem mais spoilers sobre o final da série - exibido no domingo (19/5) ao redor do mundo - vamos relembrar os momentos femininos mais marcantes que mudaram a história de Westeros.

A rainha (do fogo e do sangue)

DAVIES SURYA/BBC
Daenerys foi uma das personagens-chaves da série, mas decisões tomadas na reta final foram criticadas Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Como diz o ditado: "Toda vez que um Targaryen nasce, os deuses jogam uma moeda no ar e o mundo prende a respiração para ver como ela vai cair".

Os fãs tinham muita esperança de que Daenerys Targaryen criasse e consolidasse uma nova ordem mundial.

Mas depois de sofrer traição e múltiplas perdas, as coisas tomaram um rumo dramático para a enlutada Rainha do Dragões.

Ela foi rápida em destruir a capital King's Landing (ou Porto Real, em português) com o fogo do único dragão que restou, Drogon - apesar da rendição desesperada da cidade.

A reação dos fãs ao massacre de Daenerys variou da indignação à total decepção.

"O que ela fez com os civis foi genocídio e um crime contra a humanidade", tuitou o advogado Lim Wei Jiet. Outro fã disse: "Daenerys era a Quebradora de Correntes e eu estou decepcionado com ela".

HELEN SLOAN/HBO
Para Emilia Clarke, que interpretou Daenerys, personagem agiu movida por dor e sofrimento Imagem: HELEN SLOAN/HBO

A escritora Melissa Silverstein lamentou a transformação de Daenerys. "Ela passou a série inteira falando sobre sua visão de liderança e sobre como queria ser diferente dos homens que vieram antes dela. Mas isso tudo foi jogado pela janela quando ela enlouqueceu e destruiu King's Landing."

Então Daenerys ganhou o Trono de Ferro (ao menos temporariamente). Mas a que preço?

A concepção da Rainha dos Dragões enlouquecida irritou muita gente, mas a colunista de cultura pop e defensora de Targaryen, Stephanie Wilson, destacou o que chama de "dois pesos e duas medidas" da série.

"Lideranças masculinas como Jon Snow e Tyrion Lannister executaram pessoas e elaboraram planos que levaram a milhares de mortes (A Batalha da Água Negra). Os irmãos Baratheon travaram guerras sangrentas de olho no trono", disse ela. "Quando Daenerys agiu, ela foi considerada louca, com fome de poder e violenta."

A atriz, comediante e escritora americana Mindy Kaling disse que, no lugar de Danny, teria "feito o mesmo".

Mas as heroínas têm que fazer papel de salvadoras o tempo inteiro?

A atriz Emilia Clarke defendeu Daenerys e deu uma visão sobre a lógica de sua personagem.

"Você pode chamar (a ação dela) de loucura de Targaryen ou de outro jeito, mas é apenas sofrimento, e dor", disse ela.

"É natural que a pessoa recorra à raiva quando sente que falhou, quando se sente decepcionada, humilhada, machucada, sem amor. Existe um limite para a dor que conseguimos aturar antes de surtarmos."

Enquanto David Benioff, produtor-executivo da série, disse que a solidão levou Daenerys à beira da loucura, a psicoterapeuta Michelle Briggs observou na personagem o impacto de fatores como trauma psicológico, o de ter testemunhado mortes e perdido o controle.

"Sempre que julgamos uma pessoa e a chamamos de louca, nós também temos que analisar as pessoas e os acontecimentos que a levaram a esse ponto", disse ela.

A leoa que nunca se preocupou com as opiniões das ovelhas

DAVIES SURYA/BBC
Cersei Lannister teve ascensão ao poder digna de nota e se manteve cruel até o fim Imagem: DAVIES SURYA/BBC

"Rainha você será. Até que venha outra, mais jovem e mais bonita, para derrubar você e tomar tudo o que você ama."

Uma profecia perturbadora se tornou realidade para a principal antagonista do programa, Cersei Lannister, que acabou destronada por Daenerys Targaryen - e posteriormente morta em meio à destruição de King's Landing.

Com seu terrível apego ao poder, a rainha vilã "perde o controle", diz a atriz Lena Headey, intérprete da personagem.

"Cersei sempre esteve destinada a ficar sozinha. Ela destruiu todas as boas alianças, conexões e amor que existiam na sua própria vida. E até o último minuto, ficou, como sempre esteve, em negação sobre o que de fato estava acontecendo", disse ela.

HELEN SLOAN/HBO
Cersei também representou o empoderamento feminino na série Imagem: HELEN SLOAN/HBO

Foi difícil identificar o impacto de Cersei sobre os Sete Reinos no período em que ela esteve no poder. Mas sempre houve algo de complexo em relação a isso.

Stephanie Wilson acha que Cersei também foi vítima do sistema em que foi criada.

"Cersei Lannister tem ressentimento contra como o sistema patriarcal em Westeros a manteve longe do poder verdadeiro durante tanto tempo, então, de certa maneira, ter finalmente virado rainha foi um momento de empoderamento", disse.

"Ela é uma vilã de verdade, mas, considerando o conceito de antagonista, esteve à altura dos homens da série e merecia um título que correspondesse ao poder que tanto lutou para conseguir", acrescenta.

"Ainda assim, é difícil se sentir completamente feliz por ela, considerando a crueldade e o sadismo (que demonstrou nessa trajetória)."

A "Lady" de Winterfell: uma verdadeira sobrevivente

DAVIES SURYA/BBC
Sansa chegou à última temporada da série fortalecida, mas detalhes da sua história são criticadas pelo público Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Os sobreviventes não são necessariamente os mais fortes. Eles são, muitas vezes, os mais inteligentes.

Isso não poderia ser mais verdadeiro em relação a Sansa, a filha mais velha dos Stark que perdeu muito da inocência que tinha após testemunhar a execução brutal do pai, e saber das trágicas mortes da mãe e de irmãos.

Traumas, independentemente de como sejam, têm efeito sobre nós. Infelizmente para Sansa, houve uma história de contínuo sofrimento nas mãos dos homens.

Cenas polêmicas retratando violência doméstica e o estupro que sofreu nas mãos do ex-marido Ramsay Bolton atraíram a ira dos fãs. Mas Sansa não se entregou ao papel de mulher "fragilizada".

Ela apareceu mais forte e para os fãs, conseguiu aguentar mais do que outros personagens da série sofreram.

A transformação de sua personagem, porém, provocou um debate acalorado entre os sobreviventes de violência sexual, que argumentaram que o estupro não deveria ser usado "como mecanismo do enredo" para melhorar ou definir personagens femininos.

A professora de mídia Stephanie Genz, da Universidade de Nottingham, na Inglaterra, disse que a história da personagem acentuou uma "lógica sexista".

"As mulheres não deveriam ter que ser abusadas e 'despedaçadas' desse jeito para poderem se tornar mais fortes ou tenazes", disse ela à BBC.

A atriz americana Jessica Chastain disse que "a força de Sansa foi mérito dela" e não das situações que precisou enfrentar.

Mas, apesar de ser uma liderança de pleno direito no Norte, Sansa chegou ao final da série ainda dividindo opiniões.

A pesquisadora Elizabeth Beaton põe a culpa em estereótipos masculinos, que diz terem muito a ver com "conceitos tradicionais de masculinidade e feminilidade".

HELEN SLOAN/HBO
Sansa conquistou respeito como Lady de Winterfell após sofrer nas mãos de homens na série Imagem: HELEN SLOAN/HBO

"Herois masculinos são tipicamente retratados atingindo seus objetivos através da ação e a passividade é frequentemente vista como fraqueza", diz ela.

"Lute como uma garota"

DAVIES SURYA/BBC
Arya foi ovacionada pelo público como heroina e como jovem que sabe exatamente o que quer Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Você pensa que só homens são capazes de vencer numa batalha? Pois pense novamente.

Jon Snow pode ter sido sempre apontado como o herói, mas no épico, cheio de adrenalina no confronto entre os vivos e os mortos, foi sua irmãzinha - ou prima - Arya Stark, que matou um dos maiores vilões da série.

"Lute como uma garota? Sim, por favor", disse a fã de longa data Eileen Ng, admitindo, entretanto, que esperava que Jon - e não Arya - tivesse dado o golpe final no Rei da Noite.

"Mas depois de treinar anos como assassina, o que Arya fez foi uma prova de como as mulheres são fortes e dedicadas. Ela mereceu cada minuto dessa vitória."

DAVIES SURYA/BBC
Lyanna Mormont conquistou os fãs da série e teve um final apoteótico ao matar um gigante Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Pode até ter havido homens maiores no campo de batalha naquela noite, mas em meio a eles havia outra inegável personagem feminina roubando a cena. Os telespectadores foram à loucura e ficaram na torcida por Lady Lyanna Mormont, que derrotou um oponente mais de cinco vezes maior: um terrível gigante morto-vivo.

"A menor das guerreiras provou ser uma heroína maior do que os homens adultos a sua volta", escreveu um fã no Facebook.

A blogueira Ani Bundel elogiou a atriz inglesa de 16 anos, Bella Ramsay, que interpretou a jovem líder da Ilha dos Ursos.

"Foi um ótima escolha por parte da HBO", disse ela. "Lyanna Mormont roubou todas as cenas e quando seu tempo acabou, foi premiada com um final de Davi e Golias."

Uma mulher cavaleiro dos Sete Reinos

DAVIES SURYA/BBC
Brienne foi ordenada Cavaleiro por Jamie Lannister, um posto que até então não era para mulheres em Westeros Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Cavalheirismo nos Sete Reinos não é bem o que você pensa.

Normalmente não se ouve falar de cavaleiros mulheres em Westeros, onde a misoginia e o patriarcado prosperam.

Mas Brienne de Tarth provou ser uma 'divisora de águas' na temporada final da série, quando foi ordenada cavaleiro por Jamie Lannister.

"Brienne sempre foi mais digna do título do que outros cavaleiros na série, mas não havia sido ordenada pelo fato de ser mulher. Ela sempre mereceu se tornar cavaleiro e gênero não deveria ser um empecilho para isso", disse Stephanie Wilson.

A blogueira Chloe Ketchum descreveu a cena que Brienne dividiu com Jamie como uma das mais emocionantes da série.

"A jornada de Brienne sempre foi sobre aceitar e permanecer fiel a si mesma e vê-la contrariando as normas tradicionais de gênero foi maravilhoso."

Helen Sloan/HBO
Brienne se apaixonou por Jamie, mas detalhes de como o romance se desenrolou foram alvos de crítica Imagem: Helen Sloan/HBO

A única coisa que esta nova cavaleiro não precisava, no entanto, era ter que "resolver" a questão da sua virgindade. "A situação dela com Jamie foi especialmente flagrante", disse Wilson.

"Mulheres fortes têm direito à emoção, mas os produtores da série claramente exploraram sua vulnerabilidade para impulsionar o enredo de um homem."

A redenção da Mulher Vermelha

DAVIES SURYA/BBC
A Mulher Vermelha cometeu erros graves ao longo da série, mas, no final, teve papel considerado decisivo na guerra Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Todo mundo adora um bad boy, mas e uma vilã?

Melisandre não é antagonista, mas com certeza é justo dizer que muitos fãs não gostavam nem um pouco dela.

Ela foi, afinal de contas, responsável por queimarem uma criança viva. A atriz Carice van Houten, que a interpretava, chegou a receber ameaças de morte depois que esse ato horrível foi ao ar.

"Em primeiro lugar, Melisandre é uma bruxa, então você poderia dizer que ela já foi criada para ser odiada", observou a escritora feminista Wenny Yeo, de Cingapura.

"Ela também estava sem dúvida com fome de poder e cometeu erros graves, mas há coisas piores que alguém pode fazer em um programa como Game of Thrones."

HELEN SLOAN/HBO
Palavras de Melisandre teriam ajudado a dar "força" à Arya para resistir na guerra e ir em busca do Rei da Noite Imagem: HELEN SLOAN/HBO

A controversa personagem se redimiu, porém, aos olhos dos fãs quando reapareceu para ajudar o Norte na batalha com os mortos.

Suas profecias fracassadas foram logo esquecidas quando sua magia de fogo iluminou o exército dothraki e as trincheiras de madeira.

E suas "palavras motivacionais" para Arya Stark chegaram a ser consideradas decisivas para a vitória na guerra.

É inegável que Melisandre causou muita dor, mas, às vezes, a instabilidade dos fãs é que é o problema.

O escritor Stephen King disse que adorou a temporada final, mas que ela recebeu muitas críticas porque as pessoas não queriam "QUALQUER final".

Vamos falar sobre sexo

DAVIES SURYA/BBC
Primeira vez de Arya e Gendry foi outro ponto de destaque para a jovem Stark Imagem: DAVIES SURYA/BBC

Game of Thrones é alvo de críticas, mas isso não vem de hoje.

Desde que começou a ser exibida, em 2011, a série tem sido amplamente criticada por perpetuar o estupro, a violência sexual e a objetivação das mulheres - em meio a acusações de que isso serve para beneficiar o público masculino.

"Desde exibir somente as mulheres sem roupas nas cenas de sexo às imagens de prostitutas nuas, a série foi gravada majoritariamente através do olhar masculino", disse Beaton.

Outros críticos acreditam que o problema estava na falta de escritoras femininas na série - houve apenas uma mulher exercendo o papel de diretora na equipe nos últimos oito anos.

Helen Sloan/HBO
Fãs elogiaram postura de Arya e imagem de empoderamento passada por ela Imagem: Helen Sloan/HBO

Mas isso mudou com Arya Stark, que protagonizou mais uma vitória quando decidiu perder a virgindade impondo suas próprias condições. Os fãs aplaudiram a jovem assassina por exibir o empoderamento feminino.

"Arya dormindo com Gendry Baratheon foi uma das cenas de sexo menos ofensivas da história da série", escreveu um fã em um tópico no Facebook. "Ela mostrou que era normal e natural que mulheres jovens quisessem fazer sexo."

Genz acrescentou que o encontro dos dois "não foi uma jogada de poder e foi totalmente consensual". "A posterior rejeição de Arya à proposta de casamento de Gendry também indicou sua recusa em ser "domesticada".

Um pequeno passo para uma jovem assassina, um salto gigante para as mulheres em Westeros.

DAVIES SURYA/BBC
A Guerra dos Tronos chegou ao fim domingo e, sem dúvida, as mulheres foram centrais na história Imagem: DAVIES SURYA/BBC

*Ilustrações de Davies Surya, da equipe de Jornalismo Visual da BBC, com colaborações de Mayuri Mei Lin em Jacarta.

Mais Game of Thrones