PUBLICIDADE
Topo

Tatuagem vira obra de arte em museu na Califórnia

O tatuador Sergio Sánchez também transita entre a tatuagem e a pintura. Aqui, ele retrata um estúdio na obra "No Pain, No Gain" (Sem Dor, Sem Ganho) - Divulgação/Craft and Folk Art Museum
O tatuador Sergio Sánchez também transita entre a tatuagem e a pintura. Aqui, ele retrata um estúdio na obra "No Pain, No Gain" (Sem Dor, Sem Ganho) Imagem: Divulgação/Craft and Folk Art Museum

03/01/2013 09h33

Porta de entrada dos Estados Unidos pelo Pacífico, a Califórnia não demorou para receber a influência da tradicional tatuagem japonesa. O desenho que cruzou o oceano logo virou mania entre marinheiros e prisioneiros, até ganhar o gosto de celebridades de Hollywood.

A exposição Skin and Ink (Pele e Tinta), do Craft and Folk Art Museum, mostra a evolução desse tipo de arte e os variados estilos.

“Los Angeles foi fundamental para o desenvolvimento da tatuagem entre as décadas de 1950 e 1980, considerado o período de renascimento nos Estados Unidos e, por contágio, em outras partes do mundo ocidental”, explica a curadora da mostra, Sasha Ali.

Os primeiros desenhos, feitos nas prisões com ponta de cordas de guitarras pelos presos, ganhou mais precisão ao longo dos anos. Os temas, inicialmente influenciados pela estética japonesa, ganharam elementos da cultura latina e pop.