Entretenimento

MinC alegou existir "risco ao patrimônio" ao pedir reintegração de posse

José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo
25.jul.2016 - Manifestantes deixam o Palácio Capanema, prédio do Ministério da Cultura (MinC), no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira Imagem: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do Rio de Janeiro

25/07/2016 15h06

O Ministério da Cultura (MinC) informou nesta segunda-feira (25) que a reintegração de posse do Palácio Gustavo Capanema, sua sede no Rio, ocupado havia 70 dias por artistas e trabalhadores da cultura, foi pedida porque os ocupantes estavam atrapalhando as obras de recuperação do prédio, que é tombado. A desocupação está sendo feita pela Polícia Federal (PF) desde as 6h desta segunda.

Em relação à sede da Fundação Nacional de Artes (Funarte) em São Paulo, também tomada havia 70 dias, "um piano de cauda foi inteiramente pichado e uma tela que retrata a pianista Guiomar Novaes foi encontrada jogada num corredor", segundo nota do Ministério.

"O risco de danos ao patrimônio público em prédios históricos é iminente e, por diversas vezes, funcionários públicos já foram impedidos de prestar serviços de atendimento e de circular livremente em seus locais de trabalho", diz a nota.

O texto argumenta ainda: "O MinC e suas entidades vinculadas buscaram desde o final do mês de maio a construção do diálogo e da conciliação com os movimentos de ocupação artística em diversas unidades administrativas desta pasta ministerial e das entidades vinculadas. As manifestações, desde que respeitados os contornos do Estado democrático de direito, são expressões de cidadania. No entanto, nas últimas semanas, o ministério tem recebido relatos de depredação do patrimônio público, ameaça aos servidores públicos, uso de drogas, presença de indivíduos armados, além da circulação de menores", diz o ministério.

"No caso específico do Palácio Gustavo Capanema, há a necessidade de desobstruir o mezanino e o pilotis, além do esvaziamento completo do edifício, para que as obras de reforma, orçadas em R$ 20 milhões, tenham a devida continuidade", complementa o documento.

O MinC baseou o pedido feito à Advocacia-Geral da União (AGU) para a reintegração de posse dos "edifícios nos quais a segurança dos servidores e do patrimônio público estavam em risco" na necessidade de retomar "a regularidade" das atividades dos funcionários.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Entretenimento

Topo