PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Facebook impõe limites a sites de notícias falsos criados por grupos políticos

11/08/2020 20h02

San Francisco, 11 Ago 2020 (AFP) - Os grupos políticos que criam sites desenhados para parecerem com os dos meios de comunicação não receberão mais no Facebook o mesmo tratamento dispensado aos veículos independentes, anunciou a rede social nesta terça-feira.

Segundo o Facebook, o aumento do número de sites políticos disfarçados de veículos de comunicação provocou uma mudança na política. A partir de agora, os mesmos não serão incluídos no feed de notícias da rede social.

Esses sites partidários poderão permanecer na plataforma, mas "estarão sujeitos ao mesmo padrão das entidades políticas no Facebook", informou a gigante da Califórnia.

Investigadores identificaram mais de 1,2 mil sites partidários desenhados para se parecerem com sites de notícias locais, mas com mais de 90% do seu conteúdo gerado por algoritmos que usam conjuntos de dados públicos ou reutilizam histórias de fontes externas. Esses portais não terão mais acesso a mensagens de notícias nos serviços do Facebook WhatsApp e Messenger.

"Reconhecemos que há um número crescente de publicações de notícias ligadas a diferentes tipos de entidades políticas e outras organizações que podem influenciar nas políticas públicas e eleições", assinalou o Facebook em seu blog.

"Enquanto nos preparamos para as eleições de novembro, estamos absolutamente dedicados a garantir que estamos protegendo a integridade da votação", assinalou o vice-presidente de Integridade do Facebook, Guy Rosen, em conferência telefônica com jornalistas.

gc/rl/llu/rsr/lb

Entretenimento