Topo

Star Wars


Fãs de "Star Wars" produzem e vendem seus próprios sabres de luz

O taiwanês Makoto Tsai, que produz sabres de luz para fãs de "Star Wars" - Sam YEH AFP
O taiwanês Makoto Tsai, que produz sabres de luz para fãs de "Star Wars" Imagem: Sam YEH AFP

Taipé (Taiwan)

03/05/2019 17h10

O taiwanês Makoto Tsai não conseguiu encontrar um sabre de luz digno desse nome em lojas de brinquedos e, portanto, como um bom fã de "Star Wars", tornou-se engenheiro e passou anos produzindo e aperfeiçoando a própria cópia ideal da famosa arma da saga cinematográfica.

Aos 36 anos, integra um grupo de artesãos que fizeram carreira fabricando réplicas muito realistas das famosas espadas de energia utilizadas pelos heróis e vilões na saga espacial.

Os fãs de "Star Wars" se reúnem neste sábado, 4 de maio, na data adotada para celebrar de forma não-oficial a série intergalática, de luto este ano pela recente morte de Peter Mayhew, intérprete original do personagem Chewbacca.

Muitos dos participantes do evento usarão o sabre de Makoto Tsai.

De sua oficina próxima a Taipei, exporta seus produtos para cerca de quarenta países, entre eles Estados Unidos, Cuba, França, Peru, Islândia e Tunísia, de onde vêm 80% de seus pedidos de venda.

Por US$ 255 (cerca de R$ 1.004) é possível comprar um sabre produzido por ele, que já vendeu em torno de mil exemplares nos últimos dez anos.

O taiwanês Makoto Tsai, que produz sabres de luz para fãs de "Star Wars" - HSU Tsun-hsu/AFP
O taiwanês Makoto Tsai, que produz sabres de luz para fãs de "Star Wars"
Imagem: HSU Tsun-hsu/AFP

Os fãs taiwaneses ou de origem chinesa conseguem um desconto de 50% no preço sob a condição de passar por um exame por escrito "para provar que são realmente apaixonados" pela história criada pelo cineasta George Lucas.

"Fabrico cada peça a mão. É muito íntimo para mim", diz à AFP este jovem em sua oficina lotada de objetos ligados à saga. "Quero que apenas aqueles que gostam verdadeiramente do filme tenham o sabre".

Apesar da série ser uma das franquias mais longevas de Hollywood e que fatura milhões de dólares por ano, os fãs reclamam há muito tempo da baixa qualidade dos sabres oficiais disponíveis no mercado, indicando que não passam de pálidas imitações do que se vê nos filmes.

Fãs posam para foto em evento em Taipei  - Sam YEH/AFP
Fãs posam para foto em evento em Taipei
Imagem: Sam YEH/AFP

Busca pela perfeição

Como resultado desta falha, nasceu uma indústria artesanal para compensar o vazio deixado pelos grandes fabricantes de brinquedos.

Graças aos avanços em matéria de baterias, LEDs e tecnologias digitais, estes artesãos produzem incansavelmente réplicas cada vez mais elaboradas das tradicionais armas da série.

Para isso utilizam, entre outras coisas, tubos luminosos e placas de som que reagem aos movimentos.

Um dos especialistas mais importantes em sabres de luz é o americano Michael Murphy, que vive Califórnia.

Em seu site e fórum fx-sabers.com encontra-se o que há de melhor em termos de sabres de luz.

"O número de pessoas capazes de fabricá-los, como Makoto ou eu, passou de 25 nos primeiros anos para mais de cem", explica à AFP este homem conhecido como Yoda, nome de um dos personagens de "Star Wars".

Mas por conta dos direitos autorais, muitos evitam dar a suas criações nomes diretamente vinculados à série, além de alterar alguns detalhes nos objetos.

Fãs de "Star Wars" se reúnem em Twain  - Sam YEH/AFP
Fãs de "Star Wars" se reúnem em Twain
Imagem: Sam YEH/AFP

O sabre original utilizado pelo ator Mark Hamill, intérprete de Luke Skywalker, no primeiro filme da série lançado em 1977, uma produção de baixo custo, está a anos-luz em termos de baixa qualidade em relação aos objetos utilizados nos episódios seguintes.

O primeiro sabre foi fabricado tendo como base flashes de antigas câmeras fotográficas Graflex.

E devido aos fãs, esse tipo de objeto é muito difícil de encontrar. Os sabres mais caros, criados com esses antigos flashes, são vendidos por até US$ 15 mil (cerca de R$ 59) no eBay.

A paixão pelo universo dos personagens de Obi-Wan Kenobi, princesa Leia e Darth Vader entrou na vida de Makoto Tsai quando ele era um adolescente.

Sua busca pela réplica perfeita o levou a estudar engenharia eletro-ótica e a trabalhar nesse setor.

Hoje em dia, se dedica exclusivamente a fabricar espadas.

O engenheiro explica que faz permanentes pesquisas para criar sabres "mais luminosos, mais resistentes e mais fáceis de manipular" durante os duelos com sabres que ele participa para divulgar seus produtos.

Sam YEH AFP
Imagem: Sam YEH AFP

"Que a força esteja com você"

Sua atividade lhe permite organizar reuniões gratuitas para os fãs da saga assim como eventos de caridade, revela.

"Passo dois terços do meu tempo organizando eventos. Minha missão é promover cada vez mais o universo de "Star Wars" em Taiwan e atrair mais fãs", acrescenta.

Um dos momentos que mais lhe dá orgulho foi quando visitou o palácio presidencial por causa da jornada Star Wars 2018.

Neste evento, todos os participantes que estavam vestidos como os personagens do filme, gritaram junto com o vice-presidente do país, Chen Chien-jen, a famosa frase "Que força esteja com você".

Outros fãs, fantasiados de soldados imperiais, o exército do mal do filme, ficaram ao lado da polícia militar para montar guarda diante da sede da presidência no coração da capital Taipei.