PUBLICIDADE
Topo

Morreu Keith Flint, vocalista do grupo The Prodigy, aos 49 anos

04/03/2019 11h55

Londres, 4 Mar 2019 (AFP) - O vocalista e líder do grupo britânico de música eletrônica The Prodigy, Keith Flint, foi encontrado morto, nesta segunda-feira (4), aos 49 anos, no condado de Essex, a leste de Londres.

Liam Howlett, outro integrante da banda, anunciou no Instagram que o cantor "tirou a própria vida durante o fim de semana".

"É com grande emoção e profunda tristeza que devemos confirmar a morte de nosso irmão e amigo Keith Flint", anunciou o grupo em um comunicado.

"Um verdadeiro pioneiro, inovador, uma lenda. Para sempre sentiremos sua falta", homenageou a banda.

Sua morte não é considerada suspeita, segundo anunciou a polícia de Essex, em um comunicado enviado à AFP.

A morte coincide com o início de uma turnê internacional para promover o sétimo álbum da banda, "No Tourists", com shows previstos na Colômbia e na Áustria no início de abril, várias datas nos Estados Unidos em maio e na França durante o verão.

Personagem carismático e estilo demoníaco, com cabelos espetados, piercings e tatuagens que assustavam crianças, Keith Flint conquistou o público com sua interpretação do título Firestarter em 1996.

Misturando elementos do punk e da dance music, ajudou a fazer do The Prodigy uma das bandas mais influentes na cena rave underground, após o lançamento em 1997 do álbum "The Fat Of The Land", que incluiu o polêmico hit "Smack My Bitch Up"

"Havia uma disposição real de não fazer concessões", disse Flint à AFP em 2015. "Nós realmente precisávamos de um antídoto para a cena DJ, daí uma certa brutalidade", explicou na ocasião.

A formação sempre defendeu um estilo e tom mais agressivo que os outros grupos do rave britânico.

Muito crítico à ordem estabelecida, The Prodigy tomou para si a batalha contra uma lei aprovada em 1994 pelo parlamento britânico proibindo as festas rave.

O polêmico hit "Smack My Bitch Up", um dos primeiros sucessos mundiais do grupo, foi denunciado como misógino e proibido na BBC.

Este título "não apenas condensa o som elétrico eufórico, mas também as grandes batidas e os graves", disse Keith Flint ao fanzine Repeat em um de seus últimos trabalhos, publicado recentemente.

Nascido em Londres em 1969, Keith Charles Flint cresceu em Essex. Na virada dos anos 90, conheceu Liam Howlett, que se tornaria o co-fundador do The Prodigy e principal compositor da banda.

Grande entusiasta de motocicletas, Keith Flint competiu em algumas competições, chegando a criar sua própria equipe, a Team Traction Control, presente em algumas corridas britânicas.

Em 2007, viajou quase 2.500 quilômetros para chegar ao Grande Prêmio da Espanha, do Reino Unido.

Em 2014, ele comprou e renovou um pub, The Leather Bottle, em Pleshey, Essex.

O anúncio da sua morte provocou uma onda de reações nos círculos artísticos.

"É tão triste ouvir a notícia sobre Keith Flint. Ele era sempre muito engraçado, e foi muito legal com Tom (Rowlands) e eu quando começamos a fazer shows juntos", tuitou Ed Simons, da dupla britânica The Chemical Brothers.

"Nós perdemos um titã", declarou, por sua vez, a cantora soul Beverley Knight.

acc/es/mr