PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Papa Francisco alerta para 'desinformação' na internet

24/01/2019 10h12

Cidade do Vaticano, 24 Jan 2019 (AFP) - O papa Francisco alertou nesta quinta-feira (24) para a "desinformação" e a "distorção consciente dos fatos" na internet, em uma mensagem transmitida por ocasião da Jornada Mundial das Comunicações Sociais.

"A rede é um recurso do nosso tempo: uma fonte de conhecimentos e relações outrora impensáveis. Mas numerosos especialistas, a propósito das profundas transformações impressas pela tecnologia às lógicas da produção, circulação e fruição dos conteúdos, destacam também os riscos que ameaçam a busca e a partilha duma informação autêntica à escala global", afirma o boletim.

"Se é verdade que a internet constitui uma possibilidade extraordinária de acesso ao saber, verdade é também que se revelou como um dos locais mais expostos à desinformação e à distorção consciente e pilotada dos factos e relações interpessoais, a ponto de muitas vezes cair no descrédito", alerta o papa.

"É necessário reconhecer que se, por um lado, as redes sociais servem para nos conectarmos melhor, fazendo-nos encontrar e ajudar uns aos outros, por outro, prestam-se também a um uso manipulador dos dados pessoais, visando obter vantagens no plano político ou econômico, sem o devido respeito pela pessoa e seus direitos", prossegue o pontífice, alertando que, "entre os mais jovens, as estatísticas revelam que um em cada quatro adolescentes está envolvido em episódios de cyberbullying".

O papa, que em várias ocasiões saiu em defesa da acolhida de imigrantes e da diversidade como uma riqueza para o gênero Humano, adverte que "no cenário atual, salta aos olhos de todos como a comunidade de redes sociais não seja, automaticamente, sinônimo de comunidade".

"Além disso, na social web, muitas vezes a identidade funda-se na contraposição ao outro, à pessoa estranha ao grupo: define-se mais a partir daquilo que divide do que daquilo que une, dando espaço à suspeita e à explosão de todo o tipo de preconceito (étnico, sexual, religioso, e outros)".

"Esta tendência alimenta grupos que excluem a heterogeneidade, alimentam no próprio ambiente digital um individualismo desenfreado, acabando às vezes por fomentar espirais de ódio. E, assim, aquela que deveria ser uma janela aberta para o mundo, torna-se uma vitrine onde se exibe o próprio narcisismo", ressalta Francisco.

Ele também destaca o risco de o uso da Internet "pode também agravar o nosso auto-isolamento", apontando que "os adolescentes é que estão mais expostos à ilusão de que a social web pode satisfazê-los", caindo na armadilha "do perigoso fenômeno dos jovens 'eremitas sociais', que correm o risco de se tornarem totalmente alheios da sociedade".

A Jornada Mundial das Comunicações Sociais será realizada este ano em vários países no dia 2 de junho, informou o Vaticano.

ljm/cm/mct/mr

Entretenimento