PUBLICIDADE
Topo

Rapper americano Lil Pump deixa chineses revoltados com vídeo ofensivo

O rapper americano Lil Pump durant show em Birmingham, na Inglaterra - Katja Ogrin/Redferns
O rapper americano Lil Pump durant show em Birmingham, na Inglaterra Imagem: Katja Ogrin/Redferns

De Xangai

19/12/2018 13h06

O rapper americano Lil Pump gerou polêmica na China e uma virulenta resposta de vários grupos e rappers chineses por causa de um vídeo considerado racista.

BUTTERFLY DOORS 💨🌊 COMMENT IF I SHOULD DIS

Uma publicação compartilhada por @ lilpump em

"Me chamam Yao Ming porque meus olhos de verdade são puxados / Ching Chong", canta Lil Pump em seu Instagram para divulgar a música "Butterfly Doors".

Além de citar a estrela chinesa do basquete, o rapper, cujo nome verdadeiro é Gazzy Garcia, estica os olhos e usa a expressão "ching chong", considerados ofensivos.

O vídeo foi postado no domingo e já teve cerca de 5 milhões de visualizações na conta do rapper de 18 anos.

O comportamento de Lil Pump causou revolta nas redes sociais chinesas e recebeu resposta do rapper chinês Li Yijie, chamado Pissy, do grupo de hip-hop CD Rev, e de outro grupo chamado Chengdu Revolution.

"A verdade é que você e os racistas brancos são iguais / Respeitem-nos, você sofreu / Não sabe nada da história / Porque está em uma nação de imigrantes e, se realmente não nos leva a sério, olhe para os índios", canta Pissy em resposta.

A cultura do rap não é bem-vista pelo governo da China. Em janeiro, as autoridades proibiram, nas emissoras de televisão, a presença de "artistas tatuados", "música hip hop" e de qualquer conteúdo em geral que considerem contrário aos valores do Partido Comunista Chinês (PCC) no poder.