Topo

Entretenimento

Governo tcheco propõe devolver nacionalidade a Milan Kundera

Praga, 10 Nov 2018 (AFP) - O primeiro-ministro tcheco, Andrej Babis, que se encontra na França, anunciou neste sábado que propôs ao escritor naturalizado francês, Milan Kundera, voltar a dá-lo nacionalidade tcheca que o ex-regime comunista lhe retirar.

"Certamente mereceria ter novamente sua cidadania", disse Babis em Paris, por ocasião das comemorações do centenário do armistício de 1918, segundo a agência tcheca CTK.

Kundera, de 89 anos, emigrou para a França em 1975. Nessa época suas obras eram proibidas em seu país natal e sua vida privada estava sob o controle constante da polícia secreta StB.

O regime comunista da ex-Tchecoslováquia privou oficialmente de cidadania o autor de "A Insustentável Leveza do Ser" e sua esposa Vera em 1979.

"Não conheço exatamente o procedimento" para voltar a conceder cidadania, admitiu o chefe do governo tcheco.

As relações de Kundera, nascido em 1929 em Brno (leste da atual República Tcheca), com seu país de origem sempre foram complexas, inclusive após a queda do regime comunista após a revolução de 1989.

Desde então, o escritor retornou em várias ocasiões a seu país, mas sem divulgação nem eventos públicos.

Según Babis, o escritor que se nega há anos a aparecer em público, visitou seu país natal pela última vez há 22 anos.

Errata: o texto foi atualizado
12/11/2018 às 11h30
Em português o livro de Milan Kundera se chama "A Insustentável Leveza do Ser", e não "A Insuportável Leveza do Ser". O erro foi corrigido.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber

Mais Entretenimento