PUBLICIDADE
Topo

'Game of Thrones' domina 70ª edição do Emmy

18/09/2018 01h51

Los Angeles, 18 Set 2018 (AFP) - "Game of Thrones" conquistou nesta segunda-feira o Emmy de melhor série dramática, somando um total de nove estatuetas na 70ª edição do chamado Oscar da televisão, realizada em Los Angeles.

A produção da HBO, que já era a mais premiada da história do Emmy, derrotou as séries The Americans, The Crown, Handmaid's Tale e Stranger Thing 2.

A série "Game of Thrones", que acompanha a disputa de nobres famílias pelo controle dos Sete Reinos, não participou da última edição do Emmy porque a sua sétima temporada estreou depois do encerramento do prazo de candidatura.

"Obrigado Dave e Dan por mudar a minha vida", disse Peter Dinklage, que levou o Emmy de melhor ator coadjuvante, aos criadores da série David Benioff e D.B. Weiss. "Não posso mais sair na rua. Vocês são as pessoas mais talentosas e incríveis que conheço".

"Escrever para estes atores que temos por trás é uma honra para toda uma vida", declarou D.B. Weiss. "Mas não inventamos estes personagens, este foi George R.R. Martin. O espetáculo não aconteceria sem o louco gênio de George".

A última temporada do programa de ficção mais premiado da história do Emmy é aguardada para o ano que vem. No total, a série soma 38 estatuetas desde seu lançamento, em 2011.

"The Marvelous Mrs Maisel" levou o prêmio de melhor comédia, obtendo oito estatuetas no gênero.

A série sobre uma mulher que ao ser abandonada por seu marido na Nova York dos anos 50 se torna comediante derrotou Atlanta, Barry, Black-ish, Glow e Curb your enthusiasm.

A atriz britânica Claire Foy e ator galês Matthew Rhys conquistaram os prêmios de melhor atuação em série dramática.

Foy, que levou o prêmio por sua interpretação da rainha Elizabeth II em "The Crown", derrotou Elisabeth Moss, por The Handmaid's Tale, Sandra Oh, por Killing Eve, Keri Russell, por The Americans, Evan Rachel Wood, por Westworld, e Tatiana Maslany, por Orphan Black.

Rhys, da série "The Americans" sobre espiões soviéticos nos Estados Unidos durante a Guerra Fria, concorria com Jason Bateman, por Ozark, Sterling K. Brown, por This Is Us, Ed Harris, por Westworld, Milo Ventimiglia, por This Is Us, e Jeffrey Wright, por Westworld.

"Não acreditei que isto aconteceria", disse a atriz ao receber a estatueta. "Só sinto muito orgulho de estar acompanhada de grandes atrizes".

Rhys, que interpretou durante seis temporadas Philip Jennings, um espião soviético com grande coração na série sobre a Guerra Fria, destacou a qualidade de sua equipe.

"Tivemos um elenco de conto de fadas", declarou ao receber a estatueta.

Rhys já havia sido indicado ao Emmy pelo mesmo papel em 2016 e 2017.

O melhor ator e a melhor atriz coadjuvantes de série dramática foram Peter Dinklage, por "Game of Thrones", e Thandie Newton, por "Westworld".

O prêmio de melhor ator de comédia foi para Bill Hader, com "Barry", série que também levou o Emmy de melhor ator coadjuvante, com Henry Winkler.

A melhor atriz de comédia foi Rachel Brosnahan, por "The Marvelous Mrs Maisel", que também destacou a atriz coadjuvante premiada na categoria: Alex Borstein.

"O assassinato de Gianni Versace: American Crime Story" obteve o Emmy de melhor minissérie, que também deu o prêmio de melhor ator da categoria a Darren Criss.

Melhor atriz de minissérie ou filme para televisão foi Regina King, por "Seven Seconds"

A espanhola Penélope Cruz, indicada pela primeira vez por sua estreia na televisão com "O assassinato de Gianni Versace: American Crime Story", na qual interpreta a irmã do estilista, Donatella, não foi premiada, do mesmo modo que o venezuelano Édgar Ramírez, que vive Versace; e seu amante, interpretado por Ricky Martin.