PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Trump ataca advogado após vazamento de gravação sobre affair com modelo

25/07/2018 13h06

Washington, 25 Jul 2018 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou aquele que foi durante muito tempo seu advogado pessoal, Michael Cohen, depois que a rede CNN divulgou uma gravação comprometedora.

Nela, ambos discutem como evitar que a relação de Trump com a modelo da Playboy Karen McDougal se tornasse pública.

"Que tipo de advogado gravaria um cliente? Muito triste!", tuitou Trump.

"Por que a gravação termina de maneira abrupta (cortada), enquanto eu supostamente estava dizendo coisas positivas? Ouvi que há outros clientes e muitos repórteres que estão gravados. Pode ser assim? Muito ruim!", acrescentou.

Feita dois meses antes da eleição presidencial de novembro de 2016, a gravação foi descoberta pelo FBI no escritório de Cohen - na época, um dos advogados de Trump, indicou o jornal The New York Times na semana passada.

Cohen, que não trabalha mais para o presidente americano, está sob investigação federal em Nova York por suas transações e para saber se os pagamentos para silenciar histórias comprometedoras de Trump violaram as leis de financiamento de campanha.

A publicação da gravação, reportada pela primeira vez pelo jornal The New York Times na semana passada, estimulou as especulações sobre quanto dano Cohen pode causar ao presidente.

Essa notícia surge depois de uma entrevista publicada no início do mês, na qual Cohen parece estar disposto a cooperar com os procuradores contra seu ex-chefe.

No áudio, as discussões giram em torno de Karen McDougal, então modelo da Playboy, que afirma ter tido uma "relação romântica de dez meses" com Trump, iniciada em 2006, pouco depois do nascimento de Barron, o último filho do presidente com sua mulher atual, Melania.

Trump e Cohen falam sobre a compra dos direitos da história de McDougal, que ela havia vendido um mês antes por 150.000 dólares ao tabloide National Enquirer. O jornal nunca chegou a publicá-la.

Durante a campanha, a equipe de Trump negou qualquer conhecimento sobre o acordo entre McDougal e a American Media, a empresa matriz da revista.

No áudio, porém, o então candidato Trump não manifesta surpresa quando o problema vem à tona, e Cohen fala, basicamente, de reembolsar a empresa pelo que pagou à modelo.

Ao tomar conhecimento, na semana passada, da existência dessa gravação, Trump classificou de "totalmente inédito" e "talvez ilegal" o fato de ter sido gravado por seu ex-advogado sem seu consentimento.

dw/dl/pb/pc/tt

THE NEW YORK TIMES COMPANY

Entretenimento