PUBLICIDADE
Topo

Criador de "Borat" volta à TV com seu humor mordaz

Sacha Baron Cohen em cena de  "Who is America? - Reprodução
Sacha Baron Cohen em cena de "Who is America? Imagem: Reprodução

16/07/2018 11h46

O comediante e humorista britânico Sacha Baron Cohen retorna aos Estados Unidos, doze anos depois de seu filme "Borat" fazer sucesso nos cinemas, em um novo programa que já começou causando polêmica.

O primeiro dos sete episódios previstos de "Who is America?" foi transmitido no domingo (15) pelo canal a cabo americano Showtime.

Famoso por sua galeria de personagens, que vão do atrapalhado cazaque Borat ao apresentador de TV rapper Ali G, passando pelo homossexual austríaco Bruno, Sacha Baron Cohen construiu sua fama surpreendendo com pegadinhas anônimos ou celebridades.

Criando situações que muitas vezes flertam com o absurdo, ele evoca as falhas de nossa sociedade e denuncia os excessos.

Baron retoma esse princípio em seu novo programa, que já provocou escândalo mesmo antes da sua primeira transmissão.

A ex-candidata republicana à vice-presidente dos Estados Unidos, Sarah Palin, vítima de uma farsa do comediante, denunciou seus métodos e seu humor "perverso".

Ela explicou que foi convidada a Washington para dialogar com um veterano de guerra em cadeira de rodas, que, na verdade, era Sacha Baron Cohen.

A ex-governadora do Alasca repreendeu o produtor e roteirista por ter, nesta ocasião, "zombado daqueles que lutaram e serviram o nosso país".

A sequência não foi transmitida no primeiro episódio de "Who is America?", onde ele aborda o ex-candidato às primárias democratas Bernie Sanders.

O senador socialista responde, pacientemente, às perguntas de um homem que supostamente sofre de doenças crônicas e sai ileso da entrevista.

O golpe de brilhantismo desta primeira exibição acontece ao final do programa, quando Sacha Baron Cohen, sob o disfarce de um falso especialista em contraterrorismo israelense, Erran Morad, consegue fazer com que dois legisladores republicanos da Câmara dos Deputados escrevessem uma mensagem apoiando seu falso programa de treinamento de crianças em idade escolar no uso de armas.



"Nossos pais fundadores não definiram um limite de idade para a Segunda Emenda" à Constituição dos Estados Unidos, que permite a posse de uma arma, explica o republicano Joe Wilson, argumentando que "uma criança de três anos de idade deve ser capaz de se defender sozinha, se necessário".

O programa foi amplamente aclamado pela crítica, bem como por vários apresentadores e comediantes.

Judd Apatow, diretor de sucessos como "Ligeiramente grávidos" e "O Virgem de 40 anos", achou "incrivelmente engraçado" em uma mensagem postada no Twitter.

Já o diretor de "Corra!", Jordan Peele, foi mais enfáticou e considerou o novo programa de Sacha Baron Cohen uma obra "essencial".

tu/cn /mr