Topo

Entretenimento

Israel ganha Festival Eurovisão com canção inspirada no movimento #MeToo

12/05/2018 21h56

Lisboa, 13 Mai 2018 (AFP) -

Israel ganhou pela quarta vez o Festival Eurovisão da Canção, com uma canção inspirada no espírito do movimento mundial contra o machismo #MeToo, votada por milhões de telespectadores durante a final da 63ª edição da competição, realizada na noite deste sábado em Lisboa.

A canção "Toy" foi interpretada pela cantora israelense de 25 anos Netta Barzilai, que lançou uma mensagem a favor da emancipação feminina e contra toda forma de assédio.

"Obrigada por terem aceitado a diferença e apoiado a diversidade", declarou a cantora, chorando. "Adoro o meu país".

A artista conquistou o público com sua voz potente, seus trejeitos e sua dança, na que imitava os movimentos de um frango, em um duelo no qual enfrentava - segundo as casas de apostas - a representante do Chipre, a cantora grega de origem albanesa Eleni Foureira.

Esta última interpretou a canção intitulada "Fuego", com ritmo pop sensual que a levou a ser comparada com Shakira e Beyoncé.

Israel também ganhou as edições do Eurovisão de 1978, 1979 e 1998.

Netta Barzilai sucede assim ao cantor português Salvador Sobral, vencedor no ano passado em Kiev.

Favorita das casas de apostas durante semanas, a israelense ficou em segundo lugar na competição em um primeiro momento.

Venceu graças aos pontos dos telespectadores dos 43 países participantes, pois o candidato austríaco Cesar Sampson conseguiu ficar em primeiro após o voto dos júris profissionais nacionais, gerando uma grande surpresa.

A maratona audiovisual de três horas e meia, que é realizada desde 1956, ofereceu mais uma vez uma variedade de gêneros musicais e performances impressionantes que incluíram uma participação do cantor Caetano Veloso.

Em um registro intimista e ousado ao mesmo tempo, a balada do irlandês Ryan O'Shaughnessy esteve acompanhada de uma coreografia romântica entre dois homens, o que lhe custou a censura da China durante a retransmissão da primeira semifinal.

Em resposta, a União Europeia de Radiotelevisão (UER), que organiza a Eurovisão, rompeu o contrato com o portal chinês MangoTV - que também borrou a bandeira arco-íris dos defensores dos direitos dos homossexuais - para que não transmitissem a segunda semifinal, nem a final.

Um momento alto da noite foi protagonizado pelo vencedor anterior do Eurovisão, Salvador Sobral, que subiu ao palco junto com um de seus ídolos, Caetano Veloso, na primeira apresentação do artista português após um transplante de coração no começo de dezembro.

Com um orçamento de 20 milhões de euros, o mais baixo da última década, a televisão pública portuguesa RTP desenhou um espetáculo mais "teatral", limitando o uso de projeções de vídeo e novas tecnologias.

O objetivo era honrar a ideia lançada há um ano por Salvador Sobral: "A música não são fogos de artifício, mas sentimentos".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento