Topo

Filmes e séries

Javier Bardem conta segredo para contracenar com sua mulher, Penélope Cruz

Divulgação
Penélope Cruz e Javier Bardem em cena de "Todos lo Saben" ("Evrybody Knows"), do iraniano Asghar Farhadi Imagem: Divulgação

Em Paris

06/05/2018 12h16

"Este filme é mais espanhol do que muitos filmes espanhóis", opina Javier Bardem, que abrirá o Festival de Cannes, na próxima terça-feira (8), com "Everybody Knows", do iraniano Asghar Farhadi. Após "Amando Pablo", ele volta a atuar com a mulher, Penélope Cruz.

Em "Everybody  Knows", o ator espanhol interpreta o viticultor Paco. Ele vai se encontrar com a namorada, Laura (Penélope Cruz), por ocasião de um casamento em seu povoado natal espanhol, mas um drama familiar irá alterar os festejos.

Este é o oitavo longa do diretor, que, até agora, havia filmado em seu Irã natal ou na França, e que, desta vez, o fez na Espanha. A trama psicológica disputa a Palma de Ouro em Cannes.

Mais sobre Cannes


"Quando ele me disse pela primeira vez que queria fazer um filme na Espanha e em espanhol, pensei: 'Sério? Ok, isso é corajoso'", contou o ator, 49, durante uma entrevista em inglês a jornalistas em Paris.

"Depois, assisti a 'O Passado' e percebi que ele poderia fazê-lo", acrescentou, assinalando que o filme é diferente de "Vicky Cristina Barcelona", de Woody Allen, em que contracenou com Penélope.

"O filme de Allen é sobre clichês, sobre o que os turistas estrangeiros procuram, eles vão a Barcelona para isso. Mas Asghar é diferente, é bastante realista. Este filme é mais espanhol do que muitos filmes espanhóis filmados na Espanha!", afirmou Bardem.

O ator contou que, com Penélope, levou ao diretor iraniano alguns elementos, "principalmente sobre a linguagem. Mas ele já sabia muito. Noventa e nove por cento do filme vêm dele."

Bardem também disse ter identificado no longa todos os componentes "de um filme de Farhadi", que gosta de exibir "personagens simples, bons, abertos, que se encontram em situações difíceis, de conflito".

'Nada pessoal'

Em "Everybody Knows", Bardem volta a contracenar com a mulher, com quem dividiu a tela em "Amando Pablo", de Fernando León de Aranoa. Esta é a nona vez que os dois participam juntos de um filme.

Atuar no mesmo filme "é muito mais simples" para a vida em família, mas, ao mesmo tempo, "deve-se estar seguro de que os personagens e histórias valem a pena", considerou o ator, casado desde 2010 com Penélope, com quem tem dois filhos.

"E deve-se fazer uma clara separação entre a ficção e a vida real. Quando voltamos para casa, não falamos mais sobre nada disto", afirmou Bardem.

Com este novo filme, o ator volta ao tapete vermelho de Cannes, onde, em 2010, recebeu o prêmio de interpretação por "Biutiful", de Alejandro  González  Iñárritu.

"Vivi altos e baixos em Cannes. Apresentei 'Onde os Fracos Não Têm Vez', dos irmãos Coen, que foi bem recebido e conquistou um Oscar. Mas também fui vaiado por 'A Última Fronteira' (de Sean Penn), considerado um dos piores filmes da história do festival, do que não discordo", reconheceu.

"É uma grande honra abrir um festival tão excepcional com um filme de Farhadi. Mas também é um risco", concluiu.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!