Topo

Entretenimento

Celebrado DJ Avicii morre aos 28 anos

20/04/2018 18h17

Nova York, 20 Abr 2018 (AFP) -









Avicii, um dos DJs mais famosos do mundo, que ajudou a liderar o 'boom' global da música eletrônica, morreu nesta sexta-feira (20), em Omã, aos 28 anos, informou seu agente.

Dois anos depois de sua aposentadoria precoce devido a questões de saúde, o DJ sueco, cujo nome de batismo é Tim Bergling, foi encontrado morto durante uma visita a Mascate, capital de Omã, revelou um comunicado, que não especificou a causa da morte.

"É com profunda tristeza que anunciamos a perda de Tim Bergling, também conhecido como Avicii", disse seu agente.

"A família está arrasada e pedimos a todos que, por favor, respeitem sua necessidade de privacidade neste momento difícil. Nenhuma declaração adicional será dada".

Avicii foi um dos primeiros DJs a se destacar no 'mainstream', à medida que a dance music eletrônica crescia na última década, das boates para as rádios. Ele ajudou a produzir o último álbum da Madonna e criou um hit global com sua versão de "A Sky Full of Stars", do Coldplay.

Seus maiores sucessos incluem "Hey Brother" e "Wake Me Up", que foi o número um em toda a Europa em 2013 e contou com a participação do cantor de soul Aloe Blacc.

"Soube com tristeza do falecimento de Tim Bergling, mais conhecido como Avicii. Foi um dos maiores nomes da música na Suécia da época moderna. Penso nas pessoas próximas, família e amigos", escreveu o premiê da Suécia, Stefan Lofven, em sua conta no Twitter.

- "Energia negativa" -Embora a morte tenha sido um choque, Avicii falou publicamente nos últimos anos sobre seus problemas de saúde, incluindo uma pancreatite, desencadeada em parte pelo consumo excessivo de álcool.

A condição o obrigou a cancelar shows em 2014, quando ele teve que remover a vesícula biliar e o apêndice.











Em 2016, Avicii surpreendeu os fãs ao anunciar sua aposentadoria com apenas 26 anos, dizendo que queria deixar o estilo de vida vinculado à música eletrônica.

"A cena (eletrônica) não era para mim", disse à revista de música Billboard após sua decisão.

"Não foram os shows, nem a música. Sempre foram as outras coisas em torno disso que nunca pareceram naturais para mim. Todas as outras partes de ser um artista", afirmou.

"Eu sou uma pessoa mais introvertida no geral. Sempre foi muito difícil para mim. Eu aceitei muita energia negativa, eu acho", acrescentou.

- "Gênio e inovador musical" -Avicii, que durante anos foi um dos músicos eletrônicos mais rentáveis do mundo, em 2016 ficou em 12º lugar na lista de DJs mais bem pagos da revista Forbes, que disse que ele ganhou 14,5 milhões de dólares no ano anterior.

"Tão triste... Tão trágico. Adeus querido e doce Tim. Você partiu cedo demais", postou no Instagram a rainha do pop Madonna, que contratou Avicii para produzir seu último disco.

"Tivemos a honra de conhecê-lo e o admirávamos tanto como artista quanto pela bela pessoa que era", disseram o príncipe de Suécia Carlos Filipe, e sua esposa, Sofia.

O músico americano Charlie Puth prestou homenagem a Avicii, dizendo que ele foi "o homem que realmente abriu meus olhos para como minha produção poderia soar um dia".

"Avicii era um gênio e um inovador musical, e não posso acreditar que ele não esteja mais conosco. RIP para o melhor", escreveu Puth no Twitter.

Deadmau5 - um colega DJ conhecido por sua franqueza que tinha zombado de Avicii quando ele se aposentou tão jovem - ofereceu seus "mais sinceros e sentidos pêsames".

"Brincadeiras à parte, ninguém pode negar o que ele realizou e fez pela dance music moderna, e estou muito orgulhoso dele", tuitou Deadmau5.

Filho de Anki Liden, uma proeminente atriz sueca, Avicii começou fazendo upload de músicas na internet e foi descoberto pelo DJ holandês Tiesto, que o convidou para tocar em Ibiza.

Seu primeiro sucesso, "Levels", que adaptou uma amostra da cantora de soul Etta James, lhe rendeu uma de suas duas indicações ao Grammy.

Ele tirou seu nome artístico da palavra em sânscrito para o nível mais baixo do inferno no budismo, adicionando um "i" no final por razões estilísticas.

Em 2013, em uma entrevista ao Spotify, que ajudou a popularizar sua música, Avicii foi perguntado sobre o que queria estar fazendo dentro de 10 anos.

"Espero que a mesma coisa, embora eu talvez não esteja tocando tanto ao vivo, talvez produzindo mais música", afirmou.

Mais Entretenimento