Topo

Entretenimento

Diminui a tensão entre Alemanha e Turquia após libertação de jornalista

16/02/2018 15h58

Berlim, 16 Fev 2018 (AFP) - Um jornalista germano-turco preso há um ano na Turquia por terrorismo, Deniz Yücel, foi colocado em liberdade nesta sexta-feira, anunciou o governo alemão.

"Podemos confirmar que Deniz Yücel foi libertado, estamos aliviados e contentes", indicou um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Rainer Breul, em um encontro com a imprensa.

Segundo o governo alemão, o jornalista, correspondente do jornal Die Welt, será autorizado a deixar a Turquia e poderia evitar finalmente um julgamento.

"Me alegro enormemente com esta decisão da justiça turca, e ainda mais por Deniz Yücel e sua família", indicou o ministro alemão de Exteriores, Sigmar Gabriel, que liderou as negociações neste caso com a Turquia nos últimos meses.

O caso aumentou a tensão nas relações entre ambos os países, que são aliados na OTAN e estão vinculados historicamente pela presença de três milhões de turcos na Alemanha.

"Enfim! O correspondente do Die Welt na prisão há mais de um ano está livre", indicou o jornal em seu site.

A procuradoria turca oficializou, junto com a libertação do jornalista, sua ata de acusação. Pede entre 4 e 18 anos de prisão contra Yücel, acusado de "propaganda em nome de uma organização terrorista" e de "incitação ao ódio".

Mas segundo o governo alemão, é pouco provável que Yücel seja julgado.

"Temos a decisão do tribunal turco que põe Deniz Yücel em liberdade sem restrições. Parto do princípio que isso significa que sairá do país", disse Gabriel.

Em dezembro, a jornalista e tradutora alemã Mesale Tolu foi libertada após oito meses na prisão, mas foi proibida de deixar o território turco.

Na quarta-feira, a chanceler alemã, Angela Merkel, pressionou o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, para que concedesse a liberdade a Yücel, advertindo que as relações bilaterais, deterioradas por este caso, não poderiam melhorar se não ocorressem mudanças.

O jornalista foi detido em fevereiro de 2017 no âmbito dos expurgos após o fracassado golpe de Estado contra o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, em julho de 2016.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento