Topo

Entretenimento

Bombardeios turcos danificam templo neo-hitita de 3.000 anos na Síria

28/01/2018 16h15

Beirute, 28 Jan 2018 (AFP) - Um templo neo-hitita de 3.000 anos de antiguidade foi danificado pelos bombardeios aéreos turcos no norte da Síria, indicou neste domingo uma organização não governamental e um arqueólogo, que lamentou uma "catástrofe" similar aos destroços causados em Palmira.

O templo de Ain Dara, que data da "era arameia" (1.300 a 700 anos a.C) se encontra no enclave de Afrin, na mira da aviação e da artilharia turca. Na sexta-feira, foi atingido pelos bombardeios aéreos, detalhou a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

"O alcance das destruições é de 60%", estimou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

O sítio de 50 hectares, descoberto em 1982, é famoso por seus "leões em basalto, imponentes e excepcionais, e afrescos esculpidos em pedra", indicou o ex-diretor-geral de Antiguidades e Museus da Síria, Mamun Abdelkarim.

"Três mil anos de civilização, destruídos em um bombardeio aéreo", lamentou o especialista, contatado pela AFP.

A Direção-Geral de Antiguidades e Museus síria condenou em um comunicado "os ataques turcos a sítios arqueológicos de Afrin" e confirmou "a destruição do templo de Ain Dara, um dos edifícios arqueológicos mais importantes construídos pelos arameus na Síria".

A Turquia começou em 20 de janeiro uma ofensiva militar no norte da Síria para expulsar as milícias curdas sírias da região.

Abdelkarim comparou a destruição do templo de Ain Dara à destruição causada pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) em 2015 na cidade de Palmira, sítio de 2.000 anos de antiguidade inscrito na lista do Patrimônio da Humanidade da Unesco.

"A destruição do templo de Ain Dara é do mesmo nível de atrocidade que a do templo de Bel", em Palmira, lamentou Abdelkarim.

Ele se preocupa com as consequências dos combates no setor de Jabal Saman, onde há localidades que datam do começo do cristianismo e que estão inscritas desde 2013 na lista em perigo do Patrimônio Mundial da Unesco.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento