Topo

Entretenimento

Artista chinês e sua esposa estão desparecidos após homenagem a Liu Xiaobo

22/12/2017 08h39

Pequim, 22 dez 2017 (AFP) - Um artista chinês e sua esposa francesa estão desaparecidos há uma semana, desde que exibiram na China um trabalho em homenagem ao prêmio Nobel da Paz Liu Xiaobo, cujo nome ainda é tabu no país, disseram seus amigos nesta sexta-feira.

Em 15 de dezembro, Hu Jiamin e Marine Brossard conseguiram expor uma cadeira vazia em frente a grades, na entrada de uma exposição na grande cidade de Shenzhen (sul), antes que as autoridades cobrissem o trabalho, indicaram testemunhas à AFP.

A cadeira vazia evoca a memória de Liu Xiaobo, o dissidente preso pelo regime comunista por oito anos por ter reivindicado democracia na China.

Impossibilitado de viajar para a Noruega para receber seu prêmio em 2010, foi representado na cerimônia por uma cadeira vazia. O ativista morreu em detenção em julho passado.

"Nós tentamos localizá-los. Não estamos entendendo o que está acontecendo", declarou um amigo do casal à AFP, que pediu anonimato por motivos de segurança.

O casal, que mora em Lyon, no leste da França, onde Hu Jiamin registrou uma empresa de criação artística, viajou para a China para participar da Bienal de Urbanismo e Arquitetura Shenzhen-Hong Kong, de acordo com testemunhas.

Um jornal de Hong Kong, Ming Pao, informou que um dos seus jornalistas presentes na exposição viu o artista e sua esposa gritando quando foram levados pela polícia em 15 de dezembro à tarde.

A polícia de Shenzhen disse não ter informações sobre o casal, assim como o ministério das Relações Exteriores chinês. A embaixada da França em Pequim se recusou a comentar.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento