Entretenimento

Steven Seagal também é acusado de abuso sexual

09/11/2017 21h11

Nova York, 9 Nov 2017 (AFP) - A atriz americana Portia de Rossi afirmou que o ator e produtor americano Steven Seagal tentou estuprá-la, na última acusação contra uma estrela de Hollywood.

Portia de Rossi contou através de sua conta do Twitter como Seagal, que ficou famoso na década de 1990 com filmes de ação, a havia ameaçado em uma data não especificada durante um teste para atuar em um de seus filmes.

"Ele me disse como era importante ter química fora da tela enquanto me sentava e descia o zíper de sua calça de couro, escreveu na quarta-feira à noite a atriz, conhecida por seus papéis nas séries "Ally McBeal" e "Arrested Development".

"Saí correndo e chamei minha agente, que disse: 'bom, eu não sabia se ele era ou não o seu tipo'".

Contactados pela AFP, nem o advogado nem o gerente da produtora do ator de 65 anos comentaram.

Na última sexta-feira, a atriz Julianna Margulies contou em seu programa de rádio que foi assediada por Seagal há quase 30 anos em um quarto de hotel em Nova York.

Ela foi convidada uma noite ao quarto de Steven Seagal para ensaiar uma cena. A assistente do ator, que havia prometido estar presente, não compareceu.

"Saí sã e salva", disse, mas "não sei como saí desse quarto". "Gritei para sair", contou, acrescentando que Seagal tinha uma arma.

Em outubro, outra atriz, Lisa Guerrero, contou a revista Newsweek que Seagal lhe havia pedido em 1996 que fosse à sua casa para um "ensaio privado", que segundo disse, ela não aceitou.

Estas acusações acontecem após as denúncias contra o poderoso produtor Harvey Weinstein e o ator Kevin Spacey, embora Seagal já tenha sido acusado de abuso sexual pela atriz Jenny McCarthy há vários anos.

Seagal foi processado duas vezes por acusações similares em 2001 e 2010.

No primeiro caso, o ator não foi condenado e no segundo, a suposta vítima desistiu de sua ação.

Nesta quinta-feira, o site do The New York Times publicou vários testemunhos acusando o humorista Louis C.K. de assédio e abuso sexual.

Seis vezes premiado com o Emmy Awards, o humorista foi acusado por algumas mulheres de ter se masturbado diante delas.

A apresentação desta quinta-feira de "I Love You, Daddy", o último filme de Louis C.K, foi cancelada abruptamente e o humorista suspendeu sua participação em um programa da rede CBS.

tu/cat/ll/cc

Twitter
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo