Entretenimento

Pearson vende 22% da Penguin Random House para a Bertelsmann por US$ 1 bilhão

11/07/2017 06h37

Londres, 11 Jul 2017 (AFP) - O grupo britânico Pearson anunciou nesta terça-feira a venda por um bilhão de dólares de 22% da editora Penguin Random House para a sócia alemã Bertelsmann.

Após a conclusão da venda, a Pearson conservará 25% da editora, o que significa uma pequena surpresa, já que ao revelar em janeiro as possibilidades sobre a operação o grupo britânico havia informado que examinava a venda da totalidade dos 47% que controlava na empresa criada em 2013 com a fusão da Random House (Bertelsmann) com a Penguin (Pearson).

A Bertelsmann controlará então 75% da Penguin Random House, empresa anglo-saxã - da qual não faz parte a Random House Alemanha - que reúne 250 casas editoriais com mais de 15.000 publicações por ano e faturamento de 3,4 bilhões de dólares.

Com a operação, "a Bertelsmann obtém direitos de administração mais importantes na Penguin Random House e nomeará o presidente do Conselho de Administração", explicou o grupo alemão em um comunicado.

A Penguin Random House, apresentada como o "maior grupo editorial generalista do mundo", publicou, entre outros títulos, a série "Game of Thrones" no mercado americano e escritores de muito sucesso como John Grisham (A Firma), Dan Brown (O Código Da Vinci) ou E.L. James (Cinquenta Tons De Cinza). Também publicará os livros de Michelle e Barack Obama.

Para esta operação, o valor total da Penguin Random House foi estabelecido em 3,55 bilhões de dólares.

A Pearson explicou que a venda de sua participação, combinada a uma recapitalização da editora, representaria uma arrecadação média imediata de 968 milhões de dólares. Em abril de 2018 receberá 66 milhões adicionais. A operação deve estar concluída em setembro.

A Pearson, que enfrenta dificuldades em suas contas por sua atividade no setor educacional de alto valor agregado nos Estados Unidos, anunciou em janeiro de 2016 a demissão de 4.000 funcionários para enfrentar a desaceleração da demanda.

O grupo, que já teve uma forte presença na imprensa, reorientou suas atividades para o setor educativo após a venda em 2015 do Financial Times e de sua participação na revista The Economist.

pn-maj/esp/pa.zm/fp

PEARSON

BERTELSMANN

VINCI
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo