Filmes e séries

Facebook vai produzir suas próprias séries e "game shows"

Getty Images/AFP
Mark Zuckerberg, criador do Facebook Imagem: Getty Images/AFP

De Nova York (EUA)

26/06/2017 18h04

O Facebook começou a produzir séries e "game shows" para difundir na rede social, indicou a empresa na segunda (26) à agência France Press, confirmando informação publicada pelo jornal "Wall Street Journal", uma tendência à que aderiram muitas grandes companhias de internet.

A plataforma de cerca de dois bilhões de usuários mensais (1,94 bilhão no final de março) trabalha neste projeto com "um pequeno grupo de sócios e criadores", indicou Nick Grudin, vice-presidente de parcerias de mídia do Facebook, em um comunicado enviado à AFP.

"Nosso objetivo é fazer do Facebook um lugar onde as pessoas possam se unir em torno do vídeo", disse Grudin, observando que a rede social e seus colaboradores vão "experimentar os tipos de programas nos que você pode construir uma comunidade ao redor - do esporte à comédia, passando pelos 'reality shows' e pelos 'game shows'."

Por enquanto, estes programas estão sendo financiados diretamente pelo Facebook, "mas com o tempo queremos ajudar muitos criadores a fazer vídeos financiados por um sistema de compartilhamento de receita como o Ad Break", uma ferramenta de software que permite inserir publicidade nos conteúdos difundidos ao vivo pela rede social.

O Facebook não revelou a identidade dos seus sócios de produção de conteúdo.

De acordo com o "Wall Street Journal", representantes da rede social estão se reunindo com executivos de estúdios de Hollywood, agências de representação de atores e criativos da televisão e do cinema.

Segundo o jornal econômico, o Facebook se dispõe a desembolsar até três milhões de dólares por episódio produzido, o orçamento de um programa de alta qualidade para a televisão a cabo nos Estados Unidos.

O gigante californiano planeja colocar on-line os primeiros programas no final do verão boreal.

O desenvolvimento de conteúdos próprios é uma tendência entre os principais atores da internet, que durante muito tempo se limitaram a abrir suas plataformas a programas produzidos por outros.

Netflix, Amazon e a plataforma de televisão on-line Hulu (empresa conjunta da Disney, Comcast, 21st Century Fox e Time Warner), se voltaram para esta tendência, seguidos mais recentemente por YouTube e Apple, em uma escala mais modesta.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
Reuters
do UOL
Reuters
do UOL
BBC
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
UOL Entretenimento
Cinema
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
do UOL
do UOL
Chico Barney
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Topo