Topo

Entretenimento

Jornalista russo assassinado na Sibéria

25/05/2017 06h23

Moscou, 25 Mai 2017 (AFP) - Um jornalista russo foi assassinado em uma pequena localidade da Sibéria, anunciou nesta quinta-feira um comitê de investigação local, que suspeita de uma morte motivada por seu trabalho.

O corpo de Dmitri Popkov, chefe de redação do jornal local Ton-M, foi encontrado na quarta-feira à noite no quintal de uma casa de Minusinsk, cidade que fica 440 km ao sul de Krasnoyarsk, na Sibéria.

O jornalista, de 42 anos, tinha ferimentos de bala, de acordo com um comunicado do comitê de investigação.

"A investigação contempla vários motivos para o assassinato, entre eles que pode ter sido provocado pelas atividades profissionais da vítima", afirma o comunicado.

O ministério do Interior isolou a área e anunciou a abertura da uma investigação por "assassinato".

Popkov é o segundo jornalista russo assassinado em 2017.

No fim de abril, o repórter Nikolai Andruchshenko morreu em São Petersburgo depois de uma violenta agressão, que seus colegas acreditam ter sido motiva por suas investigações sobre a corrupção.

A Rússia ocupa a posição 148 no ranking mundial de liberdade de imprensa da ONG Repórteres Sem Fronteiras.

Na maioria dos casos, as investigações policiais sobre agressões a jornalistas não apresentam resultado.

O caso mais conhecido é o da jornalista opositora Anna Politkovskaya, assassinada em Moscou em 7 de outubro de 2006. Cinco homens, quatro deles chechenos, foram condenados a grandes penas de prisão pelo crime, mas a justiça nunca identificou o autor intelectual do assassinato.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento