Entretenimento

Maioria dos adolescentes dos países desenvolvidos satisfeitos com suas vidas

19/04/2017 13h21

Paris, 19 Abr 2017 (AFP) - Os adolescentes de 15 anos que vivem nos países desenvolvidos estão satisfeitos com suas vidas, revela um relatório sobre seu bem-estar publicado nesta quarta-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Em escala de 0 a 10, os jovens de 15 anos dão em média uma nota de 7,3 a suas vidas, segundo o relatório, que destaca o problema do bullying e o tempo de conexão a internet, em alguns casos excessivo.

Em setembro do ano passado, a OCDE publicou os principais resultados de seu relatório PISA 2015 sobre os conhecimentos e as capacidades dos estudantes de 15 anos.

Nesta pesquisa também foram feitas perguntas sobre quatro aspectos relacionados ao bem-estar: seus resultados na escola, suas relações com colegas e professores, sua vida em casa e seu tempo livre.

O relatório publicado nesta quarta-feira revela que 12% dos adolescentes não estão satisfeitos, uma proporção que supera os 20% em alguns países, como Coreia e Turquia. Na Holanda menos de 4% dos alunos se declaram insatisfeitos.

Na América hispânica - um conjunto de países em que a OCDE inclui Costa Rica, Brasil, República Dominicana, Colômbia, Uruguai, Peru, Portugal, Espanha, México e Chile - os adolescentes têm uma satisfação "relativamente alta", destaca o relatório.

No caso da República Dominicana e de Portugal suas notas de satisfação (8,5 e 7,4, respectivamente) superam a média da OCDE (7,3).

No conjunto de países estudados, os meninos (39%) estão satisfeitos que as meninas (29%). No entanto, não há diferenças significativas na satisfação dos melhores e dos piores estudantes.

Para alguns, no entanto, a escola se transformou em "lugar de sofrimento". Em 34 territórios dos 53 que inclui o estudo (membros e não membros da OCDE), há mais 10% de estudantes que garantem que seus colegas debocham deles várias vezes por mês.

Além disso, 4% disseram apanhar várias vezes em um mês, enquanto 7,7% foram vítimas de agressão física várias vezes ao ano.

Entre os alunos vítimas de bullying, 42% afirmam não sentir que a escola é o seu lugar.

O relatório também revela que o tempo de conexão à internet dos adolescentes continua aumentando, com uma média de mais de duas horas diárias os dias de escola e mais de três durante o final de semana.

Entre os entrevistados, 26% dos jovens que passam mais de seis horas por dia na internet nos finais de semana e 16% se conecta até seis horas por dia durante a semana.

Esses obcecados usuários de internet tendem a sentir-se mais sozinhos na escola, não pensam no futuro de seus estudos e costumam chegar atrasados às aulas.

Entre as razões mais frequentes de estresse, o relatório cita a pressão por melhores notas e a preocupação pelas notas baixas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo