Entretenimento

Rapper Mos Def evita julgamento na África do Sul por passaporte ilegal

22/11/2016 13h08

Joanesburgo, 22 Nov 2016 (AFP) - O rapper americano Mos Def, que infringiu as leis sula-africanas de migração ao viajar com um passaporte inválido, foi autorizado nesta terça-feira a deixar a África do Sul, mas será considerado 'indesejável' no país, segundo o ministério do Interior.

Mos Def, cujo verdadeiro nome é Dante Smith Bey, pediu desculpas ao governo sul-africano por suas ações e o aborrecimento que causou, segundo afirmou Mkuseli Apleni, o diretor-geral do ministério do Interior, falando à imprensa.

Ele acrescentou que o ministro ficou satisfeito com o pedido de desculpas e o autorizou a deixar o país.

O artista de 42 anos foi detido no aeroporto do Cabo, quando pretendia viajar para a Etiópia com um passaporte mundial, não reconhecido pelas autoridades sul-africanas.

O passaporte mundial é um documento emitido pelo World Service Authority (WAS), uma ONG americana fundada em 1953. O documento foi criado em nome da Declaração Universal dos Direitos Humanos, mas a maioria dos Estados não o reconhecem como documento oficial.

Mos Def chegou à África do Sul em 30 de novembro de 2015 com um passaporte regular dos Estados Unidos, mas o visto de turista expirou em 28 de fevereiro de 2016.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo