Topo

Entretenimento

Israel prolonga detenção sem acusações de jornalista palestino

20/08/2016 16h53

Ramallah, Territórios palestinos, 20 Ago 2016 (AFP) - As autoridades israelenses prolongaram por três meses a detenção sem processo e sem acusações de um jornalista palestino acusado de pertencer a uma "organização terrorista" - informou neste sábado (20) uma ONG palestina de defesa dos prisioneiros.

O diretor do Sindicato dos Jornalistas Palestinos, Omar Nazzal, foi detido em 23 de abril na fronteira entre Cisjordânia, território palestino ocupado por Israel, e Jordânia, antes de embarcar em um avião para ir a um congresso da Federação Europeia de Jornalistas na Bósnia.

Os palestinos consideram que se trata de um novo ataque à liberdade de imprensa por parte de Israel. Várias organizações internacionais pediram a soltura de Nazzal, de 54, que está em greve de fome desde 4 de agosto para denunciar sua detenção.

Um tribunal militar israelense decretou sua detenção administrativa até 22 de agosto "por causa de sua participação em uma organização terrorista", e não "por suas atividades como jornalista", esclareceu o Exército.

Israel acusa Nazzal de estar envolvido nas "atividades de um grupo terrorista (...), a Frente Popular de Libertação da Palestina (FPLP)".

O jornalista esperava que as autoridades informassem-no até a próxima segunda-feira (22) se seria libertado, ou indiciado. Seus advogados foram notificados, porém, de que sua detenção administrativa será prorrogada por três meses.

A AFP tentou contato com as autoridades penitenciárias israelenses para falar sobre o caso, mas não obteve retorno.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento