PUBLICIDADE
Topo

Morre espanhol Miguel de la Quadra-Salcedo, criador da 'Ruta Quetzal'

20/05/2016 14h51

Madri, 20 Mai 2016 (AFP) - O repórter e aventureiro espanhol Miguel de la Quadra-Salcedo, criador da "Ruta Queztal" (trilha Quetzal) que, desde 1979 estimula o intercâmbio cultural entre adolescentes iberoamericanos, faleceu nesta sexta-feira em Madri, aos 84 anos, anunciou a televisão pública espanhola, onde trabalhou durante décadas.

O governo espanhol concedeu-lhe a Grande Cruz de Alfonso X o Sábio, título póstumo que destaca seu trabalho "para estreitar os laços de união com a Iberoamérica", anunciou a vice-presidenta do executivo, Soraya Sáenz de Santamaría.

Engenheiro técnico por formação, atleta, etnobotânico, e domador de feras, o multifacetado aventureiro, "nômade desde sempre" como ele próprio se definia, começou a trabalhar em 1963 na televisão pública espanhola como repórter.

O jornalismo "é uma filosofia de vida e não uma profissão", explicava em uma de suas últimas entrevistas, em 2009.

Cobriu grandes acontecimentos como as guerras do Vietnã, Eritreia ou Moçambique, a morte de Che Guevara, o retorno de Juan Domingo Perón à Argentina e o golpe de Estado de Augusto Pinochet no Chile.

Ele mantinha uma estreita relação com a América Latina desde o início dos anos 1960, quando trabalhou como etnobotânico na selva colombiana.

Transformado em jornalista de aventura nos anos 1970, suas reportagens o levaram ao meio da Amazônia, onde conviveu com povos indígenas.

"A selva teve para mim uma atração porque podíamos viver exatamente igual a antes do descobrimento da América", recordou, em 2009.

Sua última iniciativa profissional buscou precisamente estreitar os laços entre Espanha e América Latina.

Anteriormente chamado de Aventura 92, o projeto foi rebatizado de "Ruta Quetzal" e agora é conhecido como rota BBVA, devido ao seu patrocinador.

Declarado de "interesse universal" pela Unesco em 1990, o programa consiste em uma viagem cultural, histórica e ambiental que anualmente leva durante um mês e meio um grupo de adolescentes de mais de 50 países em viagens pela Espanha e América Latina e que em mais de 30 anos uniu em torno de 9.000 jovens.

"É uma experiência que tem a ambição de um compromisso social, educativo, antropológico e ambiental", explica em seu site.