Topo

Entretenimento

Van Gogh apreendido por bolcheviques vai permanecer nos EUA

HANDOUT/AFP
Van Gogh - O Café à Noite na Place Lamartine, 1888 Imagem: HANDOUT/AFP

De Washington (EUA)

28/03/2016 16h05

Uma famosa pintura de Vincent Van Gogh pode permanecer em exibição nos Estados Unidos, após a Suprema Corte rejeitar nesta segunda-feira (28) o recurso que exigia sua devolução.

O francês Pierre Konowaloff, descendente de um colecionador russo, deve, portanto, abandonar suas esperanças de recuperar "Café à Noite na Place Lamartine", pintado pelo artista holandês em setembro de 1888, em Arles, na França.

A obra, um óleo sobre tela, representa em estilo impressionista o ambiente de um café no meio da noite, com uma mesa de bilhar, um balconista com o olhar perdido e poucos clientes que parecem se arrastar em sua solidão.

O valor da peça é estimado em US$200 milhões, e encontra-se na galeria de arte da Universidade Yale, em Connecticut. 

O trabalho era propriedade do russo Ivan Morozov, um amante da arte, cujo gosto refinado trouxe uma das melhores coleções de pintura do século 19 e início do século 20.

Durante a revolução bolchevique, de 1917, Morozov foi destituído de sua propriedade, e sua coleção tornou-se propriedade do que se tornaria a URSS.

O trabalho de Van Gogh foi vendido em 1933 pelas autoridades soviéticas para uma galeria em Berlim e, em seguida, passou para outra galeria em Nova York.

Por fim, tornou-se parte da coleção do magnata e patrono americano Stephen Clark, neto de um dos fundadores do império industrial de máquinas de costura Singer.

A Universidade de Yale tornou-se a última proprietária da obra, em 1961, após a morte de Clark, ex-aluno da instituição.

Konowaloff, bisneto de Morozov, começou no início de 2000 uma batalha judicial para recuperar a tela, da qual é considerado o herdeiro legítimo.
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento