PUBLICIDADE
Topo

Cineastra Laura Poitras processa governo americano

14/07/2015 16h37

Washington, 14 Jul 2015 (AFP) - A cineasta Laura Poitras, Oscar de Melhor Documentário por "Citizenfour" sobre Edward Snowden, que revelou a existência de um grande programa de vigilância dos Estados Unidos, processou o governo americano, depois de ter sido alvo, durante anos, de longos interrogatório nas fronteiras.

Poitras, também Prêmio Pulitzer, pede ao Departamento de Justiça e aos órgãos responsáveis pela segurança das fronteiras que publiquem seis anos de relatórios indicando como, cinquenta vezes, foi interrogada, revistada e teve de esperar por horas em controles nos aeroportos nos Estados Unidos e no exterior.

"Estou apresentação uma denúncia, porque o governo usa a fronteira americana para burlar a lei", disse a cineasta da Electronic Frontier Foundation (EFF), que milita em favor da liberdade na internet e representa Poitras em seu processo iniciado na segunda-feira em nome da lei FOIA sobre a liberdade de informação.

"Também o faço em apoio a todas as outras menos conhecidas que sofrem assédios nas fronteiras. Temos o direito de saber como o sistema funciona e por que nós somos seus alvos", acrescentou.

Durante os interrogatórios em questão, a cineasta foi informada por agentes que tinha antecedentes criminais, o que ela nega, além de o seu nome constar em um banco de dados de suspeitos que ameaçam a segurança nacional, segundo o EFF.