Entretenimento

Estado Islâmico usa mensagens criptografadas para recrutar jihadistas nos EUA

06/07/2015 21h23

Washington, 7 Jul 2015 (AFP) - O grupo Estado Islâmico (EI) utiliza mensagens criptografadas na Internet para recrutar jihadistas nos Estados Unidos, revelou nesta segunda-feira o diretor do FBI, James Comey, ao defender um debate público sobre a inviolabilidade de dados.

Membros do EI usam "cada vez mais aplicações de mensagens criptografadas" para recrutar "dezenas de americanos" para que cometam crimes, afirmou o diretor do FBI no site Lawfareblog.com, especializado em segurança nacional.

O FBI lidera uma campanha nos Estados Unidos contra os sistemas de mensagens criptografadas invioláveis, que gigantes da Internet como Google, Apple e Yahoo começam a oferecer a seus usuários.

Estas comunicações "não podem ser interceptadas" mesmo que haja um mandado judicial, destacou Comey.

"Não há qualquer dúvida de que pessoas mal-intencionadas podem se comunicar impunemente em um mundo criptografado forte e universal".

O FBI pede que todo sistema criptografado tenha uma "porta escondida" para que a polícia possa ter acesso aos dados em caso de investigação judicial, mas as empresas de alta tecnologia rejeitam categoricamente tal proposta.

"Não sabemos como criar esta 'porta escondida' acessível apenas às pessoas de bem", explicou recentemente o chefe do Google, Eric Schmidt.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo