Topo

Livros e HQs

Opositor do comunismo tcheco, escritor Ludvik Vaculik morre aos 88 anos

Josef Horazny/CTK/AP
O escritor Ludvik Vaculik, autor de "O Machado", que morreu neste sábado (6) Imagem: Josef Horazny/CTK/AP

De Praga (República Tcheca)

06/06/2015 14h57

O escritor e jornalista tcheco Ludvik Vaculik, um forte opositor e crítico do regime comunista que governou a Tchecoslováquia entre 1948 e 1989, morreu neste sábado (6) aos 88 anos, informaram os meios de comunicação tchecos.

Vaculik ganhou fama com o romance "Sekyra" ("O Machado", em português), sobre um homem que simpatizava com o regime comunista tchecoslovaco posterior à Segunda Guerra Mundial, mas cujo afeto dele e de sua família por este regime se transforma em desilusão.

Em 1968, durante o movimento pró-democrático conhecido como "Primavera de Praga", Vaculik escreveu o manifesto "Duas Mil Palavras", no qual solicitava grandes reformas, e que foi assinado por milhares de pessoas.

Este movimento foi esmagado no 21 de agosto de 1968, com a invasão ao país por tropas soviéticas e do Pacto de Varsóvia, integradas pela Bulgária, Alemanha Oriental, Hungria e Polônia.

O próprio Vaculik foi membro do Partido Comunista tchecoslovaco entre 1948 e 1968, mas caiu em desgraça após pronunciar um caloroso discurso durante o Congresso de escritores tchecos de 1967.

Em 1972 fundou uma editora clandestina e em 1977 assinou a "Carta 77", um manifesto contra o governo tchecoslovaco.

Entre várias outras obras, Vaculik escreveu "As cobaias" (1970) e "Livro tcheco dos sonhos" (1981).

O regime comunista instaurado na Tchecoslováquia, em 1948, foi derrubado pela chamada "Revolução de Veludo" em 1989. Quatro anos depois, a Tchecoslováquia se dividiu de maneira pacífica, criando a República Tcheca e a da Eslováquia.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Livros e HQs