Entretenimento

Rei da Espanha defende uma Europa mais próxima dos cidadãos

02/06/2015 16h37

Paris, 2 Jun 2015 (AFP) - O rei Felipe VI da Espanha defendeu, nesta terça-feira, uma "maior aproximação do projeto europeu de seus cidadãos", no discurso pronunciado durante o jantar de gala oferecido pela presidência francesa.

França e Espanha "contribuíram decisivamente para a cultura e civilização europeia e universal" e seus caminhos "confluem hoje" na Europa, declarou o rei, que iniciou com sua esposa Letizia uma visita de Estado de três dias à França.

Somos herdeiros das "gerações que trabalharam" neste projeto comum, e "temos a responsabilidade de que as presentes e futuras compartilhem esse mesmo sonho", ressaltou.

"Para isso, precisamos aproximar o projeto europeu dos cidadãos, trabalhando por um maior crescimento econômico que impulsione a criação de emprego e uma maior coesão social", concluiu.

Por sua vez, o presidente francês, François Hollande, reiterou os vínculos históricos e a estreita cooperação cultural e econômica dos dois países.

"Muitos espanhóis deram suas vidas pela França", disse, recordando os combatentes que participaram da libertação de Paris.

"Milhares de nossos compatriotas estão orgulhosos de sua origem espanhola", acrescentou Hollande, citando o primeiro-ministro, Manuel Valls, e a prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

Citando a crise, Hollande disse ao rei que sabe "dos sacrifícios feitos por seu povo e a raiva que pode despertar a austeridade", mas estamos convencidos de que "a solidariedade europeia e a unidade nacional são as respostas às tentações".



Luta contra 'o terrorismo jihadista'

Lembrando os ataques de janeiro em Paris e de março na Tunísia, o rei expressou a sua solidariedade e "admiração pela determinação da sociedade francesa em sua defesa dos direitos e liberdades, que são agora parte do patrimônio universal".

Na Espanha "nós também sofremos o flagelo do terrorismo", disse ele, agradecendo o apoio da França quando a Espanha foi vítima de ataques e a ajuda "para derrotar o terrorismo do ETA".

"Nossa experiência nesta luta nos ajuda a formar uma frente comum contra o terrorismo jihadista, a forma mais insidiosa e cruel adotada pelo totalitarismo hoje", disse ele.

O rei lembrou o compromisso da Espanha com a França em suas missões no Mali e na República Centro-Africana, e afirmou que "a França também pode contar com o forte apoio da Espanha na próxima COP21", a cúpula sobre o clima em dezembro, em Paris.

Iniciando seu discurso, Felipe VI prestou homenagem às vítimas do acidente aéreo nos Alpes franceses, no qual morreram vários espanhóis.

Mais cedo, o rei havia condecorado com a Ordem ao Mérito Civil doze franceses por sua participação nas operações de resgate.

Felipe VI e Letizia foram recebidos ao meio-doa pelo presidente Hollande no Arco do Triunfo, onde depositaram flores com as cores de ambos os países ante o túmulo do soldado desconhecido.

Após a cerimônia, os reis se dirigiram ao palácio presidencial, escoltados pela Guarda Republicana pelas ruas de Paris, enfeitadas com as bandeiras dos dois países.

A ministra francesa de Ecologia, Ségolêne Royal, participou da cerimônia e acompanhou a rainha após a entrada no Eliseu.

Os reis e Hollande mantiveram uma reunião de mais de uma hora no palácio presidencial, de onde Felipe VI e Letizia partiram às 12h00 GMT (09h00 de Brasília) sem fazer declarações.

Esta visita estava prevista inicialmente para março, mas foi cancelada pouco depois da chegada dos reis devido a um acidente com um Airbus da companhia Germanwings que caiu nos Alpes franceses, no qual 50 espanhóis morreram.

Esta é a primeira visita de Estado de Felipe VI ao exterior desde que chegou ao trono, após a abdicação de seu pai, o rei Juan Carlos, em junho de 2014, e seu início coincide com o primeiro aniversário do anúncio desta abdicação.

Na quarta-feira o rei e a prefeita de Paris inaugurarão um jardim ao lado da prefeitura que foi batizado de "Jardim dos Combatentes da Nove", a companhia de soldados espanhóis que participou da Libertação de Paris em agosto de 1944 e que foram os primeiros a entrar na capital francesa e chegar à praça da prefeitura.

Após uma visita ao Senado e um almoço com o primeiro-ministro Manuel Valls, Felipe VI pronunciará na tarde de quarta-feira um discurso na Assembleia Nacional (Câmara Baixa do Parlamento).

Este discurso, feito em francês, será um dos momentos mais importantes da visita real, como foi em 1993 o pronunciado por seu pai, o rei Juan Carlos.

Na quinta-feira as atividades do rei se dividirão entre economia e cultura.

Felipe VI tomará um café da manhã de trabalho com líderes de dez empresas espanholas implantadas na França e de dez empresas francesas implantadas na Espanha.

Depois se reunirá no Instituto Cervantes de Paris com vinte hispanistas franceses e encerrará um fórum econômico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo