Topo

Entretenimento

Cyndi Lauper e Cirque du Soleil atacam lei anti-transgênero da Carolina do Norte

15/04/2015 08h30

Nova York, 16 Abr 2016 (AFP) - O protesto contra uma lei do estado da Carolina do Norte, que é considerada discriminatória pela comunidade transgênero continua somando seguidores: a cantora Cyndi Lauper e o Cirque du Soleil se uniram na sexta-feira às fileiras da oposição.

A intérprete disse que seu show de 4 de junho em Raleigh, capital do estado do sudeste americano, será acompanhado de uma campanha de sensibilização. Também destinará toda a renda obtida com o espetáculo à Equality North Carolina, uma organização local que milita contra a lei HB2.

O texto, promulgado no fim de março pelo governador republicano Pat McCrory, impõe aos indivíduos que usem banheiros públicos que correspondem ao seu sexo de nascimento e não à sua identidade de gênero.

Sob a crescente pressão de personalidades e empresas, McCrory reduziu na terça-feira o alcance da lei. Agora, o setor privado está livre para cumpri-la ou não, embora continue válida em escolas e edifícios administrativos.

Na semana passada, o roqueiro Bruce Springsteen cancelou um concerto. O serviço Paypal rejeitou um projeto de investimento. E uma centena de dirigentes de grandes empresas - entre elas Apple, Bank of America, Marriott, Starbucks e Facebook - escreveram para o governador, organizações esportivas e de espetáculos para rejeitar a lei.

Segundo Cyndi Lauper, a pressão "está tomando forma e é bela". Mas ao invés de participar de um boicote, disse que preferia organizar um evento que favoreça à comunidade transgênero.

O Cirque du Soleil, por sua vez, anunciou na sexta-feira o cancelamento de três espetáculos que tinha previsto na Carolina do Norte entre abril e julho.

"O Cirque du Soleil acredita firmemente na diversidade e na igualdade de cada indivíduo e se opõe a toda forma de discriminação", informou o grupo canadense em um comunicado.

Desde a histórica legalização por parte da Suprema Corte do casamento homossexual nos Estados Unidos em junho de 2015, alguns estados conservadores tomaram iniciativas consideradas discriminatórias pela comunidade LGBT.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento