PUBLICIDADE
Topo

Célebre bandeira americana de Jasper Johns supera estimativa em leilão

12.nov.2014 - Fotografía cedida por Sotheby"s New York mostra a obra "Flag" (1983) de Jasper Johns, vendida por  US$ 36 milhões em leilão - EFE
12.nov.2014 - Fotografía cedida por Sotheby's New York mostra a obra "Flag" (1983) de Jasper Johns, vendida por US$ 36 milhões em leilão Imagem: EFE

12/11/2014 00h23

Uma das célebres bandeiras dos Estados Unidos pintadas pelo artista contemporâneo americano Jasper Johns foi arrematada na noite desta terça-feira por 36 milhões de dólares em um leilão da Casa Sotheby's em Nova York, um recorde para o pintor de 84 anos.

Pintada em 1983, a pequena "Flag" - de 30 x 45 cm - superou amplamente a estimativa de 20 milhões de dólares do leilão de arte contemporânea e de pós-guerra organizado pela Sotheby's.

O recorde precedente para uma obra de Johns, natural de Augusta (Geórgia), era de 28,6 milhões de dólares, também por uma de suas bandeiras, pintada em 2010.

12.nov.2014 - Fotografía cedida por Sotheby's New York mostra a obra "No. 21 (Red, Brown, Black and Orange)" (1953) de Mark Rothko, vendida por US$44,9 milhões - EFE - EFE
Obra "No. 21 (Red, Brown, Black and Orange)" (1953) de Mark Rothko, vendida por US$44,9 milhões
Imagem: EFE


A outra estrela da noite foi um quadro de Mark Rothko, "NO. 21 (Red, Brown, Black and Orange)", que obteve 44,965 milhões de dólares, confirmando o enorme interesse dos colecionadores por este pintor americano nascido na Letônia.

Na segunda-feira, outras duas pinturas de Rothko, um dos nomes mais representativos da arte abstrata, foram vendidas por 76,5 milhões de dólares, também pela Casa Sotheby's.

A primeira pintura, uma representação de cores azul e púrpura sem nome, de 1970, alcançou o valor de 39,9 milhões de dólares. A estimativa inicial era de US$ 20 milhões.

O outro quadro, também sem nome e que corresponde a uma mescla de amarelos e laranjas pintado em 1955, foi vendido por 36,6 milhões de dólares, seis milhões acima do esperado.

As pinturas pertenciam à coleção particular de Rachel "Bunny" Mellon, que fez sua fortuna graças ao enxaguante bucal Listerine e que faleceu em março.