Entretenimento

Criador do Wikileaks acha que seu julgamento na Suécia não seria imparcial

20/06/2014 11h17

ESTOCOLMO, 20 Jun 2014 (AFP) - O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, afirmou nesta sexta-feira que seu julgamento na Suécia, onde é acusado em um caso de estupro, não seria imparcial.

"O que aconteceu na Suécia me preocupa, levando em conta como está se desenvolvendo o processo, e me faz duvidar se seria tratado de maneira justa e imparcial pelo sistema legal sueco", declarou Assange, refugiado na embaixada do Equador em Londres há dois anos.

Duas suecas acusam Assange de estupro e assédio sexual supostamente cometidos em 2010 em Estocolmo. Os juízes suecos querem interrogar Assange, mas o criador do Wikileaks se refugiu na embaixada do Equador e alega inocência.

Assange afirma que se for para Suécia, depois será extraditado para os Estados Unidos, onde será julgado por traição por ter divulgado 700.000 documentos secretos em seu site.

Na quinta-feira, o Equador reiterou que manterá o asilo de Assange o tempo que for necessário.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo