Entretenimento

Ovo Fabergé é encontrado em mercado de pulgas dos Estados Unidos

20/03/2014 17h24

LONDRES, 20 Mar 2014 (AFP) - Um sucateiro do meio-oeste americano que comprou um ovo de ouro num mercado de pulgas e tentava desesperadamente vendê-lo descobriu que a peça trata-se de um Ovo Fabergé imperial que estava desaparecido, estimado em 24 milhões de euros (cerca de 77 milhões de reais).

Segundo o antiquário londrino Wartski, o comprador pagou cerca de 32.000 reais pelo ovo há alguns anos, esperando lucrar com a revenda do ouro que reveste a peça. Mas como nenhum comprador se interessou, a peça permaneceu intacta e tornou-se um fardo para o sucateiro, que não fazia a menor ideia de sua procedência.

O ovo, que traz em seu interior um relógio Vacheron Constantin, foi produzido pelo joalheiro russo Peter Carl Fabergé e oferecido na Páscoa pelo czar Alexandre III a sua esposa, Maria Fiodorovna, em 1887.

A peça mede 8,2 cm de altura e é apoiada por uma base de três pés. Trata-se do terceiro dos 50 ovos de Páscoa realizados por Fabergé para a família real russa, de 1885 a 1916.

Considerado uma maravilha da joalheria, este ovo faz parte de uma lista de oito considerados desparecidos. Segundo especialistas, apenas dois deles resistiram à Revolução Russa.

Ao fazer buscas na internet, o feliz comprador reconheceu seu ovo ao ler uma matéria que mencionava Kieran McCarthy, diretor do antiquário Wartski, especializado nas obras de Fabergé.

O especialista avaliou a peça e concluiu que o ovo de ouro, gloriosamente colocado em uma mesa de cozinha ao lado de um cupacke, era o tesouro imperial perdido.

A casa Wartski comprou o ovo em nome de um colecionador privado que concordou em expor a peça a partir de 14 de abril.

Apesar do montante da transação não ter sido divulgado, o valor do ovo já havia sido avaliado em 20 milhões de libras (cerca de 77 milhões de reais).

"É uma descoberta incrível", comemorou Kieran McCarthy. O ovo "viajou da São Petersburgo imperial até o interior dos Estados Unidos. Essa história merece ser contada, pois era possível que o ovo desaparecesse".

O ovo tinha sido visto pela última vez em março de 1902 durante uma exposição da coleção Fabergé da família imperial russa em São Petersburgo. Depois disso, foi confiscado durante a revolução russa e, em 1922, foi catalogado em Moscou como um tesouro a ser vendido.

Em 2007, um ovo Rothschild Fabergé, não imperial, foi vendido pela casa de leilões Christie's por quase 9 milhões de libras (40 milhões de reais) a um colecionador russo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo