Entretenimento

Chromecast do Google chega à Europa e ao Canadá

19/03/2014 15h04

PARIS, 19 Mar 2014 (AFP) - Oito meses depois dos Estados Unidos, o Google lança o Chromecast nesta quarta-feira na Europa e no Canadá, um pequeno adaptador que transfere conteúdos de vídeo online de aparelhos portáteis para a televisão.

Uma televisão dotada de uma entrada HDMI, uma rede wifi e alguns minutos de instalação são suficientes para pôr para funcionar esse pequeno equipamento, do tamanho de um pendrive. Uma vez configurado, o Chromecast se comunica com um smartphone, com um tablet, ou com um notebook. Desses diferentes aparelhos, os vídeos on-line do YouTube podem ser transferidos e vistos na televisão, graças ao pequeno ícone "cast".

O smartphone se transforma assim em um controle remoto, de onde é possível regular o volume, passar para o próximo vídeo, ou pausar a leitura. E, uma vez que o vídeo está aberto, é possível usar outros aplicativos do celular.

Apesar de já existirem ferramentas semelhantes, o Google aposta na simplicidade, no tamanho e no preço (35 euros) do Chromecast.

"Para nós, o conteúdo é o mais importante. Queremos que seja tão simples ver na televisão quanto no smartphone", explicou à AFP o diretor de Engenharia da empresa e encarregado do projeto, Majd Bakar.

Outra vantagem apontada pelo Google é a compatibilidade com um grande número de plataformas e de terminais: Android, iPad, iPhone, Chrome para Mac, ou Windows.

O software do aplicativo está aberto para programadores, que podem fazer alterações e aperfeiçoá-lo.

Amazon deve lançar concorrente Depois do lançamento em julho de 2013 nos Estados Unidos, o Chromecast chega agora a Alemanha, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Itália, Noruega, Holanda, Reino Unido, Suécia e ao Canadá.

A empresa afirma que o aplicativo já vendeu "milhões" de unidades, mas não divulgou números concretos.

Além do YouTube, do navegador Google Chrome e da loja on-line Google Play, os usuários também encontrarão disponíveis, dependendo do país, diferentes editores de conteúdo, como Netflix (Reino Unido, Holanda, Suécia, Dinamarca e Finlândia), BBC (Reino Unido), Watchever (serviço de VADA, ou vídeo on demand por assinatura), ou Maxodome (Alemanha).

"É um elemento de diferenciação para nós e uma aposta inicial (...) nossos clientes terão acesso na TV a conteúdos que, por enquanto, estavam disponíveis apenas em seus smartphones", explicou o diretor de Marketing do SFR, Guillaume Boutin, único operador a comercializar o Chromecast na França.

A tendência da diminuição das fronteiras entre a TV e a Web deve se acentuar. Segundo rumores crescentes, o gigante do comércio online Amazon deve lançar em abril um produto concorrente.

Para Pascal Lechevallier, fundador da What's Hot, empresa especializada em novos meios de comunicação, esse equipamento é uma ótima maneira de as empresas presentes no Youtube serem assistidas pela televisão.

"A história está em andamento, e a oferta de vídeo online ainda vai aumentar muito", previu ele, ressaltando a importância de o Google capitalizar em cima dos anúncios publicitários veiculados com os vídeos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo