Entretenimento

Famoso por pintar mulheres corpulentas, Botero nega obsessão por gordas

Kathy Willens/AP Photo
16.out.2013 - O artista colombiano Fernando Botero, 81, autografa seu livro "Circus: Paintings and Works on Paper" no consulado colombiano em Nova York Imagem: Kathy Willens/AP Photo

16/03/2014 15h31

O pintor colombiano Fernando Botero, cujas pinturas e esculturas de mulheres corpulentas o tornaram um dos artistas vivos mais famosos da América Latina, disse em entrevista não ser "obcecado por mulheres gordas".

O artista de 81 anos afirmou em entrevista publicada neste domingo que as mulheres pintadas por ele não são gordas, mas "volumosas".

"Não pinto gordas. Ninguém acredita em mim, mas é verdade. Eu pinto volumes. Quando pinto uma natureza morta também pinto com volume, se pinto um animal ele também será volumoso, se pinto uma paisagem, igual", afirmou o colombiano ao jornal espanhol "El Mundo".

"Sou atraído pelo volume, a sensualidade da forma. Se pinto uma mulher, um homem, um cachorro ou um cavalo, o faço sempre com a ideia do volume, mas não é que eu tenha uma obsessão pelas mulheres gordas", disse.

"A arte pré-colombiana, por exemplo, é disforme e bela. E ao contrário: se alguém pega uma modelo e a retrata tal como ela é, o resultado é um horror de banalidade, de superficialidade, de estupidez", argumentou.

Ao ser perguntado se gostava apenas de "mulheres gordas", Botero respondeu: "não, de jeito nenhum. Já tive três mulheres, e as três eram magras".

Botero conta, inclusive, que sua esposa, a artista grega Sophia Vari, mede 1,75 metros e pesa 55 quilos.

Na entrevista Botero falou também sobre um episódio recente, quando se salvou de um incêndio que atingiu sua casa de veraneio na província de Antoquia, noroeste da Colômbia.

"Acordei e conseguimos sair, na escuridão, sem luz, com tudo cheio de fumaça e quase asfixiados, mas conseguimos. Estava tremendo, a casa ficou 80% queimada. É um milagre eu estar vivo", disse.

 

Mais Entretenimento

Topo