Entretenimento

China vai recordar massacre de Nanquim e a vitória de 1945 contra o Japão

27/02/2014 12h05

PEQUIM, 27 Fev 2014 (AFP) - A China anunciou nesta quinta-feira que o massacre de Nanquim, em 1937, e a vitória contra o Japão durante Segunda Guerra Mundial, em 1945, terão dois dias de recordação nacional, mas que não serão festivos.

A decisão, ratificada pelo comitê permanente da Assembleia Popular Nacional da China, é mais um elemento do momento de tensão entre Pequim e Tóquio e de fortes divergências sobre a história.

A partir de agora, os chineses recordarão em 3 de setembro a vitória da guerra contra o Japão (1937-1945) e em 13 de dezembro o massacre de Nanquim, segundo a agência estatal Xinhua.

A imprensa oficial chinesa e as autoridades do país acusam com frequência o Japão de não realizar um trabalho de memória histórica sobre as atrocidades cometidas por seu exército.

A China afirma que 300.000 pessoas morreram em Nanquim em ações dos soldados nipônicos. O historiador americano Jonathan Spence calcula, no entanto, que 42.000 civis morreram e 20.000 mulheres foram estupradas durante as seis semanas de ocupação japonesa.

A relação entre Pequim e Tóquio passa por um momento de tensão há um ano por divergências territoriais.

A situação ficou ainda pior depois da visita do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em 26 de dezembro de 2013 ao santuário de Yasukini em Tóquio. Para a China, este local simboliza a ocupação militar japonesa.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo