Entretenimento

Duas ex-detentas dizem que ainda fazem parte das Pussy Riot

10/02/2014 12h54

BERLIM, 10 Fev 2014 (AFP) - Duas mulheres que ficaram presas dois anos na Rússia por participar em uma ação das Pussy Riot reivindicaram nesta segunda-feira, em Berlim, que ainda fazem parte desse grupo punk, apesar da negativa das outras integrantes.

"Nós jamais abandonamos as Pussy Riot", afirmou Nadejda Tolokonikova durante uma coletiva de imprensa junto a María Alejina na capital alemã, onde participam durante a noite de un jantar organizada pela Fundação "Cinema pela paz", à margem do Festival de Cinema de Berlim.

Tolokonikova, de 24 anos, e Alejina, de 25, foram libertadas de colônias penintenciárias russas em dezembro passado, três meses antes do fim de suas sentenças de dois anos de prisão por participar em uma "oração punk" contra o presidente russo Vladimir Putin na catedral de Moscou.

Seis membros anônimas das Pussy Riot acusaram na quinta-feira, em seu blog, suas duas colegas libertadas recentemente de abandonar a ideologia "feminista e anticapitalista" do grupo, depois de sua participação em um show em Nova York, onde foram apresentadas por Madonna.

Quando foram colocadas em liberdade, Tolokonikova e Alejina anunciaram que se dedicarão a fazer campanha pelos direitos dos presos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo