Entretenimento

Grupo argentino Clarín manterá licenças de rádio e TV mais valiosas

04/11/2013 12h36

BUENOS AIRES, 04 Nov 2013 (AFP) - O grupo argentino Clarín poderá manter as licenças de rádio e TV de maior valor no processo de venda de outros ativos conforme é obrigado pela Lei de Meios Audiovisuais, informou nesta segunda-feira o chefe da entidade reguladora, Martín Sabbatella, falando à rádio Nacional Rock.

Sabbatella explicou que, depois da avaliação dos bens, a Autoridade Federal de Serviços de Comunicação Audiviosual (AFSCA) verá que licenças poderão se mantidas, com o objetivo de evitar o menor prejuízo ao grupo.

O grupo possui 41% do mercado de rádios, 38% da televisão aberta e 59% da televisão a cabo, quando o máximo em todos os casos é de 35%, segundo a AFSCA, que fará a avaliação dos meios excedentes e os submeterá à licitação pública.

Clarín também tem o jornal de maior circulação na Argentina e também coproprietário da Papel Prensa, a única empresa de fornecimento de papel para joanis, assim como produtores da cinema e TV e vários sites.

No dia 29, a Suprema Corte de Justiça argentina decidiu em favor do governo em uma longa disputa com o Clarín ao declarar constitucional uma cláusula antimonopólica que obriga o poderoso grupo multimídia a se desfazer de rádios e canais por assinatura.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo