PUBLICIDADE
Topo

Túmulo de uma das mulheres mais poderas da China é descoberto

12/09/2013 08h50

PEQUIM, 12 Set 2013 (AFP) - Arqueólogos chineses descobriram o túmulo de uma política do século VII, considerada uma das mulheres mais podersas da história clássica chinesa, informou nesta quinta-feira a rádio nacional chinesa.

Shangguan Wan'er - que viveu entre 664 e 710, na dinastia Tang - era uma conselheira ligada à primeira imperatriz chinesa, Wu Zetian.

Shangguan Wan'er se casou com o filho de Wu Zetian e, ao mesmo tempo, era amante do amante e do sobrinho da imperatriz.

A dinastia dos Tang foi abalada por uma série de golpes de Estado, assassinatos e intrigas amorosas.

O marido de Shangguan Wan'er, o príncipe Li Xian, chegou a ser imperador durante um breve período antes de ser assassinado por sua primeira esposa, que se apoderou do trono e governou a China durante 43 anos, sob o nome de Tang Xuanzong.

Esta foi destituída, por sua vez, por Li Longji, que hará ejecutar a la usurpadora y a Shangguan Wan'er.

Li Longji ficou no poder e governou a China durante 43 anos sob o nome de Tang Xuanzong.

O túmulo de Shangguan Wan'er foi encontrado perto do aeroporto de Xianyang, no norte da província de Shaanxi (norte), indicou China Rádio Internacional, em seu site.

Um epitáfio confirma que pertence a Shangguan Wan'er, segundo a fonte.

As fotos mostram escavações muito profundas con cavalos de cerâmica.

O túmulo se encontra num estado ruim, o que pode indicar que sofreu uma "destruição oficia organizada em grande escala", indicou Geng Qinggang, um pesquisador citado pela agência China News Service.