PUBLICIDADE
Topo

Descoberta a tumba de uma das mulheres mais poderosas da China

12/09/2013 17h11

PEQUIM, 12 Set 2013 (AFP) - Arqueólogos chineses descobriram a tumba de uma mulher política que viveu no século VII e que foi considerada uma das mulheres mais poderosas da História da China clássica, noticiou esta quinta-feira a rádio nacional chinesa.

Shangguan Wan'er - que viveu entre 664 e 710, durante a dinastia Tang - era uma conselheira próxima da primeira imperatriz chinesa, Wu Zetian.

Shangguan Wan'er era casada com o filho da imperatriz chinesa Wu Zetian e, ao mesmo tempo, mantinha um romance com o amante e o sobrinho dela.

A dinastia Tang foi atingida por uma série de golpes de Estado, assassinatos e intrigas amorosas.

O marido de Shangguan Wan'er, o príncipe Li Xian, chegou a ser imperador por um breve período, antes de ser assassinado pela primeira esposa, que se apoderou do trono.

Ela, por sua vez, foi destituída por Li Longji, que assumiu o poder e mandou executar a usurpadora e Shangguan Wan'er.

Li Longji assumiu o poder e governou a China durante 43 anos sob o nome de Tang Xuanzong.

A tumba de Shangguan Wan'er foi encontrada perto do aeroporto de Xianyang, no norte da província de Shaanxi (norte), reportou a China Radio Internacional em seu site na internet.

Segundo a fonte, um epitáfio confirma que a tumba pertence a Shangguan Wan'er.

As fotos mostram escavações muito profundas com cavalos de cerâmica.

"A descoberta da tumba com o epitáfio é muito importante para o estudo da dinastia Tang", comentou um historiador do período, Du Wenyu, citado pelo jornal China Daily.

A tumba está em péssimo estado, o que poderia indicar que sofreu uma "destruição oficial" organizada em "larga escala", informou Geng Qinggang, pesquisador citado pela agência China News Service.

Na tumba não foi encontrado nenhum objeto de ouro ou prata, nem ossos completos, disse Geng. Shangguan Wan'er, que gostava de escrever poesias, inspirou uma série de TV nos anos 1990.